As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders

As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders
A América do Sul ganhou com a Floresta Amazônica e a Foz do Iguaçú

quarta-feira, outubro 19, 2011

Goiás

EntrevistA


Secretário Thiago Peixoto detalha próxima etapa do Pacto Pela Educação

Esse e outros assuntos você confere no material publicado no último domingo, 16 no Diário da Manhã.
A Educação em Goiás vive um momento único: a sociedade foi chamada a participar e a contribuir com um projeto amplo como o da reforma educacional, cujas diretrizes foram lançadas em setembro pelo governador Marconi Perillo e pelo secretário Thiago Peixoto. E detalhe: quem reconhece isso são integrantes do próprio sindicato dos professores que, nas discussões da reforma nas subsecretarias regionais, discursaram, apresentaram propostas e ressaltaram que, no passado, não tiveram este tipo de oportunidade.

Após debater as diretrizes da reforma nas 38 subsecretarias regionais de Educação para colher ideias, críticas e sugestões, Thiago e os técnicos da secretaria trabalharão agora pelo aprimoramento do plano de reestruturação da rede pública estadual. É o chamado Pacto pela Educação. Um pacto que irá mudar os destinos da educação goiana. O Diário da Manhã entrevistou o secretário sobre este e outros assuntos:

Diário da Manhã - De que forma as discussões do Pacto Pela Educação no interior contribuíram com o plano de reforma?


Thiago Peixoto –
 Com um plano tão amplo como esse, precisávamos agora, depois de lançar as diretrizes das mudanças, juntar as peças que irão dar um novo rumo à Educação em Goiás. E queríamos fazer isso de uma forma democrática, dando voz àqueles que convivem diariamente com a realidade das escolas. Por isso, surgiu a ideia de percorrer todas as 38 subsecretarias regionais com o objetivo claro de colher opiniões, acatar críticas e ouvir sugestões. E apareceram muitas ideias boas nesses encontros.

DM - O sr. destacaria alguma?


Thiago -
 A sugestão de se criar outras estratégias para ampliar a valorização do profissional da educação para os servidores administrativos foi praticamente unanimidade e é uma ideia bastante válida, já que esses profissionais têm papel importante no contexto escolar [a reforma já prevê a extensão do programa Reconhecer a estes servidores]. Outra boa sugestão foi a de ampliar o benefício aos alunos que mais se destacarem em nossas escolas. 

Além da poupança para o aluno [iniciativa que também está prevista na reforma], a proposta apresentada é que o Estado também conceda bolsa universitária aos melhores, incentivando esses alunos a continuar seus estudos e a passar para o ensino superior. A partir de agora avaliaremos tudo o que foi proposto e o que poderá ser colocado em prática.

DM - Uma das principais diretrizes da reforma educacional é a valorização do professor. Em relação a este tema, o que está previsto?


Thiago -
 O pagamento do Piso Salarial em Goiás é compromisso deste governo. Desde o início do ano temos buscado alternativas para a obtenção dos recursos financeiros suficientes para cumprir a lei do piso. Há cerca de um mês, inclusive, o governador se reuniu com toda sua equipe econômica para enfatizar que essa questão é prioridade número um do Governo do Estado. 

Teremos uma solução definitiva muito em breve. O professor merece e precisa desta solução. Olha, eu e o governador Marconi Perillo acreditamos muito no poder transformador da Educação, acreditamos muito que a rede pública como um todo pode e vai colher bons frutos, e acreditamos, principalmente, no potencial de cada um dos mais de 33 mil professores que trabalham nas escolas estaduais. 
Temos a plena convicção de que cada um sabe o quanto é importante na vida dos alunos. Logo, merecem e devem ser reconhecidos e valorizados.

DM - A meritocracia parece ser uma marca deste governo. De que forma ela alcança a Secretaria da Educação?


Thiago – 
Primeiro, é preciso dizer que todas as gerências da Secretaria da Educação fizeram parte do processo de meritocracia, que escolheu os profissionais mais capacitados para essa função. Inovamos também na escolha dos diretores de escolas: um dos critérios para que ele pudesse concorrer à eleição em sua unidade foi passar por um curso de capacitação e fazer uma prova. 

Se aprovado, estava apto a disputar a eleição. E isso sem falar no programa Reconhecer, que irá conceder bônus de R$ 1,5 mil ao professor que não faltar à aula, além de outros critérios.

DM – E em se tratando da reforma educacional...


Thiago –
 A meta é estruturar um sistema de reconhecimento e remuneração por mérito, que, aliás, é o pilar estratégico de número 4. O professor que se esforça precisa ser destacado de alguma forma. Sempre digo que não faz sentido que o bom professor, que inova e transforma a realidade de sua escola, receba o mesmo que aquele outro profissional que por diversas razões não se dedica como esse primeiro.

DM – Esses benefícios são apenas para os professores?


Thiago –
 Olha, a reforma prevê uma série de premiações como reconhecimento aos esforços individuais e coletivos nas escolas. Para reconhecer o trabalho em equipe, a partir dos resultados alcançados pelos estudantes e também pelos avanços identificados numa escola, já lançamos o Prêmio Escola. 

Esse prêmio recompensará financeiramente em até 40 mil reais aquelas unidades de ensino que conseguirem atingir as metas estabelecidas pela Seduc. Penso que esse é um estímulo para que todos na Educação sempre queiram melhorar. Instituímos, também, a Poupança Aluno, para estimular e reconhecer os estudantes com melhor desempenho.

DM – Por que as escolas estaduais estão, rotineiramente, passando por avaliações? Qual o objetivo?


Thiago –
 É preciso entender onde estamos para saber para onde vamos. Diagnósticos são essenciais, imprescindíveis. As avaliações nacionais são importantes e continuarão a ser feitas, para composição dos índices nacionais. Mas, sentimos no início da nossa gestão, a necessidade de acompanhar o processo de ensino e o processo de aprendizado nas nossas escolas. 

Foi aí que criamos as Avaliações Diagnósticas, aplicadas de dois em dois meses aos alunos das séries finais. São provas de Língua Portuguesa e de Matemática. Instituímos, também, o Saego, um sistema de avaliação da educação em Goiás que, com as avaliações diagnósticas e outras variáveis, vai servir ao cálculo de um índice nosso, o Índice de Desenvolvimento da Educação no Estado de Goiás (Idego). 
E é importante dizer que as escolas irão, aos poucos, absorver essas avaliações como algo comum, corriqueiro, mas extremamente necessário.

DM – No último Ideb, Goiás caiu algumas posições no ranking nacional em relação à avaliação anterior...


Thiago – 
Em se tratando de Educação, este governo tem metas ousadas, mas perfeitamente factíveis. Trabalhamos para oferecer educação de qualidade a 600 mil alunos da rede pública, trabalhamos para que o Estado se desenvolva cada vez mais por meio da Educação, trabalhamos para que nossos estudantes tenham, ao longo de suas vidas, grandes oportunidades porque tiveram acesso à educação de qualidade. 

Toda a rede estadual está sendo reorganizada, com professores experientes nas salas de aula, recebendo incentivos, para que essa meta seja cumprida. Precisamos melhorar a proficiência dos estudantes em todas as fases. Sabemos que apenas 27% dos alunos terminam o ensino médio com domínio do conteúdo básico de Língua Portuguesa, e 91% dos alunos do ensino médio não aprenderam o que deveriam em Matemática. 
Vamos melhorar isso. É o nosso compromisso. Estamos implementando aqui experiências colhidas em várias partes do mundo, experiências que deram bons resultados. Precisamos mudar a realidade do ensino e do aprendizado e vamos trabalhar cada vez mais neste sentido.
Fonte: Ascom Seduc

sexta-feira, outubro 14, 2011

Goiás

Reforma na EDUCAÇÃO


Iporá é última regional a debater reforma na Educação

Secretário apresenta ações de grande impacto previstas dentro do plano de reestruturação do ensino em Goiás
A Subsecretaria Regional de Iporá sedia nesta terça-feira, 11, a última reunião em que professores, gestores, coordenadores pedagógicos, estudantes, servidores administrativos da educação e representantes da comunidade serão chamados para discutir a reforma educacional que Secretaria de Estado da Educação (Seduc) irá implantar em Goiás nos próximos meses.

Na Mansão Verde, espaço de eventos do município, o secretário de Estado da Educação Thiago Peixoto irá detalhar as 25 ações de grande impacto previstas dentro do plano de reestruturação do ensino em Goiás. No último sábado, 08, o titular da Seduc esteve ainda em Aparecida de Goiânia (veja fotos) e nesta segunda-feira, 10, a discussão passou por Goiânia.

Anunciada no dia 5 de setembro pelo secretário de Estado da Educação, Thiago Peixoto, e pelo governador Marconi Perillo a proposta tem cinco pilares norteadores. São eles: valorizar e fortalecer o profissional da educação; adotar práticas de ensino de alto impacto no aprendizado do aluno; reduzir a desigualdade educacional; estruturar sistema de reconhecimento e remuneração por mérito e realizar profunda reforma na gestão e na infraestrutura da rede estadual de ensino.
Fonte: Ascom Seduc

Goiás

Reforma na  EDUCAÇÃO

Subsecretaria Metropolitana é a penúltima a discutir reforma na educação

Nesta terça-feira, será a vez da regional de Iporá contribuir com o debate
Depois de percorrer 36 Subsecretarias Regionais de Educação, a discussão sobre a reforma educacional chega a Goiânia. 


Nesta segunda-feira (10), no auditório do Instituto Emmanuel, o secretário de Estadoda Educação, Thiago Peixoto, detalhou as 25 ações de grande impacto previstas dentro do plano de reestruturação do ensino em Goiás. Nesta terça-feira, 11, Iporá será a última cidade a debater o plano de reforma.

Professores, gestores, coordenadores pedagógicos, estudantes, servidores administrativos da educação e representantes da comunidade participaram do debate sobre as mudançasno sistema educacional no Estado. 



O objetivo dos debates é aperfeiçoar o plano de reforma, que serviu de documento-base para todas as discussões. Por onde passou, o plano contou com o envolvimento e a colaboração de toda a sociedade.

“O debate em todas as regionais foi muito produtivo, foram apresentadas sugestões altamente positivas e que vão enriquecer as propostas iniciais, possibilitando a construção por muitas mãos da grande reforma educacional para Goiás”, afirmou o secretário Thiago Peixoto. 



O próximo passo, segundo ele, será consolidar o plano de reforma com a inserção das sugestões que forem apresentadas até o final dos debates que se estenderão a outros setores da sociedade. Nos próximos dias, as diretrizes serão debatidas no Conselho Estadual de Educação.

Mais uma vez, o secretário fez questão de destacar que a meritocracia e a questão salarial dos professores são dois aspectos distintos dentro do plano de reforma. A valorização profissional e o fortalecimento da carreira do professor, inclusive com o pagamento do Piso Nacional, segundo o secretário, é o primeiro pilar da reforma e não tem nada a ver com a meritocracia. 



O incentivo e o reconhecimento por mérito, de acordo com ele, é parte de uma política para motivar aqueles que têm um bom desempenho e se esforçam para elevar a qualidade da educação. “Entendo ser injusto que um professor que se esforça mais ganhe o mesmo que outro que por algum motivo não tem o mesmo desempenho”, acentua.

Anunciada no dia 5 de setembro pelo secretário de Estado da Educação, Thiago Peixoto, e pelo governador Marconi Perillo a proposta tem cinco pilares norteadores. São eles: valorizar e fortalecer o profissional da educação; adotar práticas de ensino de alto impacto no aprendizado do aluno; reduzir a desigualdade educacional; estruturar sistema de reconhecimento e remuneração por mérito e realizar profunda reforma na gestão e na infraestrutura da rede estadual de ensino.

O plano e as sugestões

Das 25 diretrizes previstas no plano de reforma, cerca de 10 já estão sendo implementadas desde o início do ano. É o caso, por exemplo, do Programa Reconhecer, Programa Edificar, Prêmio Escola, Sistema de Avaliação do Estado de Goiás (Saego), Avaliação Diagnóstica, além das novas regras para eleição dos diretores das unidades escolares, do aumento de 45% da gratificação dos gestores das escolas e do pagamento antecipado do adicional de férias aos professores.

Entre o que ainda está por vir, mudanças para diminuir a evasão no Ensino Médio, parcerias para a promoção do ensino profissionalizante e melhorias para a carreira dos professores e servidores da educação são apenas alguns dos tópicos presentes no plano de reforma que visa elevar a qualidade do ensino público no Estado e que tem sido construído de forma coletiva. Com propostas inovadoras, a reforma irá produzir resultados positivos em curto e médio prazos, devendo tornar-se referência para todo o país.

De acordo com o secretário Thiago Peixoto, entre as principais sugestões apresentadas pelas comunidades no debate com as regionais de educação está a do ICMS Educação, em que entre os critérios para o repasse do imposto aos municípios esteja o dos investimentos em educação, ou seja, o município que investir mais na melhoria da educação receba mais repasses. 



Outra foi a de se ampliar o benefício aos alunos que mais se esforçarem. Além da poupança para o aluno, que o Estado conceda também bolsa universitária aos melhores. Outra sugestão, durante os debates, diz respeito à valorização do servidor administrativo, que tem papel importante no contexto da educação pública.
Fonte: Seduc

quarta-feira, outubro 12, 2011

Goiás

Discurso do governador Marconi Perillo junto ao WTC Internacional


Em 12 de outubro de 2011

Saudações,

Sinto-me honrado com o convite para falar ao Word Trade Center de São Paulo, principalmente pelas homenagens que fazem hoje, às memórias de José de Alencar e Mário Covas. Toda qualidade de uma sociedade se baseia na história de seus homens e estes dois nomes nos moldaram como somos hoje, principalmente quanto aos seus valores morais e políticos. Tive a honra de conhecê-los e muito do que defendo como ideal humano e politico teve a influência de sua história.

Parabenizo a todos pelo nível dos debates propostos neste encontro tão importante. Sua atuação, como líderes, tem sido igualmente relevante. Diante disto espero dar aqui minha pequena contribuição para uma reflexão importante sobre o momento dos negócios e sua relação com os países e suas regiões.

Estive recentemente em três missões internacionais, sobre as quais cheguei a algumas conclusões importantes. Em visitas que fiz à Rússia, China e Europa pude concluir que há transformações profundas em curso nas relações econômicas e políticas da nova perspectiva global.

A primeira grande transformação está na migração da dinâmica de crescimento do planeta, que já não se sustenta mais na América do Norte ou na tradicional; economia Europeia. O perfil agressivo da nova indústria Chinesa, os mercados emergentes no hemisfério sul e o surgimento de novas forças produtivas na américa latina estão transformando o Brasil em uma das máquinas motoras do crescimento mundial.

Pude aprender também que há uma nova ordem industrial em curso, onde os projetos de produção e desenvolvimento terão de se adaptar a novos valores e modelos para não ficar apenas na tentativa frustrada de concorrer com os resultados da indústria chinesa.

E é este o grande salto que estamos dando no Brasil, principalmente em novas fronteiras de crescimento: O desenvolvimento sustentável, baseado em energia limpa e renovável, com privilégio para o desenvolvimento tecnológico a serviço da qualidade de vida. Estes são os nossos grandes trunfos na nova ordem mundial.

Eu, particularmente, represento politicamente um estado Brasileiro – Goiás, que tem mantido níveis de crescimento econômico semelhantes à China e muito acima da média nacional. Nos amparamos em uma nova cultura de desenvolvimento sustentável onde o estado se coloca como indutor da força produtiva que o setor privado representa.

Sei que acolherão aqui importantes lideres políticos e empresariais de São Paulo, Paraná, Brasília – que é parte do território de Goiás, e outros estados Brasileiros. Todos trarão relatos sobre o bom momento do desenvolvimento brasileiro e eu- particularmente, insisto muito no novo caminho para o desenvolvimento do Brasil, através da ocupação do espaço produtivo e da capacidade criativa dos estados centrais.

Não se trata apenas de um ou dois estados que lideram os índices de crescimento, mas de uma forma de solucionar demandas mundiais por abastecimento, energia renovável e tecnologia de ponta.

Goiás, localizado no centro estratégico do Brasil, tem sido o destino de projetos industriais importantes baseados em mercados brasileiros emergentes.

Somente o meu estado, junto com o Distrito Federal, representam um dos mercados consumidores mais agressivos do país, com estimativa de 10 milhões de consumidores até o final desta década.
Painéis importantes que terão neste encontro, como a preparação diante do desenvolvimento sustentável, as oportunidades de negócios no Brasil e principalmente os casos de sucesso em política social, nos deixam muito à vontade para trazer um testemunho consistente.

No estado de Goiás temos conseguido a realização de um grande ideal dos pensadores desenvolvimentistas, que é a realização do crescimento sem a perda da qualidade de vida. Por isto temos orgulho de convidar a todos para conhecer melhor as características e o momento do território central brasileiro, onde encontrarão oportunidades singulares em relação ao Brasil e ao Mundo.

Estamos investindo muito em infra-estrutura, com projetos em parceria nos setores de transporte, energia renovável e tecnologia. Temos crescido substancialmente na agroindústria com surpreendente capacidade exportadora.

Goiás é a nova fronteira do Etanol, o que tem atraído os grandes trustes do mercado internacional de combustíveis.

Não somente por possuir uma das maiores áreas agricultáveis do Planeta, a região central do Brasil tem contado com uma explosão na qualidade da mão de obra, onde a estrutura de ensino superior e cursos de qualificação cresceu quase 2 mil por cento nos últimos dez anos.

Vocês ouvirão em um dos painéis, hoje à tarde, sobre a experiência do Instituto Airton Senna, através da Viviane Senna. Pois o projeto de aceleração do aprendizado, que realizamos juntos com a Viviane em Goiás, chegou ao fim simplesmente porque cumpriu tudo que tinha de cumprir. Ou seja, os indicadores educacionais em Goiás atingiram um nível superior à demanda do projeto.

Quero, por fim, deixar uma reflexão importante sobre as oportunidades de negócios – o que também será tema para um painel específico hoje à tarde. Os grandes projetos que influenciaram a economia mundial sempre se destacaram pela qualidade de ser pioneiro e ousado.

O nascimento de uma nova ordem econômica mundial pode estar muito mais relacionado à adequação global sobre onde ainda é possível crescer e produzir. A crise que afeta a Europa e Estados Unidos vai deixar consequências definitivas. E uma delas será a mudança no eixo dos países que movimentam a economia.

Fiquem de olho no hemisfério sul. Percebam a nova américa latina e dentro dela o Brasil como principal força de renovação. Percebam, dentro do Brasil onde e quando as coisas estão acontecendo. Percebam o Centro Oeste Brasileiro porque lá está Goiás, para onde estamos convidando a todos para conhecer e trabalhar por soluções globais.

segunda-feira, outubro 10, 2011

Planeta

Em novembro serão declaradas as "7 Maravilhas da Natureza". Vote pelo Brasil.


Dinalva Heloiza


Brasil um Roteiro em Cenário de Maravilhas

A Fundação Suiça New Open Wonders, criada pelo seu presidente, Bernard Shaw, cineasta e  velejador mundial, mais uma vez contempla a todos os povos da Terra, com uma nova e monumental campanha, em prol do bem estar, qualidade de vida e preservação da Natureza, dessa vez, a campanha é intitulada “The Official New 7 Wonders of the Nature”, ou “As 7 Novas Maravilhas Oficiais da Natureza”. 


O Brasil mais uma vez se destaca em cenário e belezas naturais. O país concorreu inicialmente com 8 sítios naturais, e se encontra entre os 28 finalistas. O Brasil é o único país a disputar essa final com duas maravilhas, são elas: “A Floresta Amazônica” e “As Cataratas do Iguaçu”, uma campanha que se encontra ativa desde 2007. 


Em 11 de Novembro de 2011 (11/11/2011), será oficializada a  declaração de “As Novas Sete Maravilhas Oficiais da Natureza”.  Para escolher as suas sete maravilhas, acesse o site www.new7wonders.com

A New 7 Wonders, é a mesma organização que de 2000 a 2007, promoveu,  através de uma   interação global, a campanha denominada “ The Official New 7 Wonders of the World” “As Novas Sete Maravilhas Oficiais do Mundo Moderno”,  quando o Cristo Redentor no Rio de Janeiro, foi eleito em terceiro lugar, como uma das Novas Maravilhas Oficiais do Mundo Moderno.


Uma campanha que focou, o princípio do antigo conceito grego das “7 Maravilhas do Mundo”, onde se destacava as principais construções sobre a Terra, desenvolvidas e construídas pelo Homem. 


O evento que destacou os finalistas dessa Campanha aconteceu no estádio da Luz em Lisboa, Portugal, em 07/07/2007, quando foi considerada a maior campanha interativa de todos os tempos, por agregar a maioria dos povos do mundo em prol de um mesmo ideal, em um curto espaço de tempo.   

Considerada a maior organização civil do mundo, a New Open Wonders, se especializou em estabelecer campanhas de votação mundial, com foco em turismo, qualidade de vida, preservação e celebração da vida, focando o equilíbrio natural, a memória e a história da humanidade. 


A New Seven vem desde 2000, estabelecendo campanhas de votação global, as quais nos inspiram a todos. Em suas campanhas a organização presidida por Bernard Shaw, visa destacar o que nos une a todos, ao contrário do que nos separa. Além de que enfatiza a importância de todo exercício de desenvolvimento, ser alicerçado com sustentabilidade, preservando um Planeta mais saudável e uma Sociedade mais justa, um legado as futuras gerações.

O “The Official New 7 Wonders of the Word”, foi,  o primeiro exercício democrático global na história da humanidade. Pela primeira vez, milhões de povos em todo o mundo se uniram por uma “Memória Global”. 

Desde o evento “The Official New 7 Wonders of the Word”, em 2007, que aconteceu na cidade de Luz, em Portugal, o navegador suíço, Bernard Shaw, fundador da New 7 Wonders, lançou uma nova campanha em cenário global, a “The Official New Seven Wonders of Nature” ou as “7 Novas Maravilhas Oficiais da Natureza”, uma campanha que promove o grandioso cenário de belezas naturais do nosso Universo, destacando a necessidade de um maior respeito e preservação ao frágil equilíbrio natural da Terra. 

Em uma conversa on-line com Bernard Shaw, ele comentou sobre o lema dessa campanha: “Se queremos salvar alguma coisa, primeiro temos que realmente apreciá-la.” E disse mais, “muitas vezes só agimos quando estamos prestes a perder algo precioso, que nos acrescenta...”.

Aqui Bernard Weber, comenta sobre como tudo começou.
"isto também representa como se deu o início do movimento New 7 Wonders”. Em 1990, quando eu estava trabalhando como cineasta e quando a tecnologia se inovou, transformando o cenário analógico para digital. A internet se tornou um meio de massa, e eu estava procurando uma boa razão para comprar o meu primeiro computador, e usar o verdadeiro potencial da Internet, para alcançar todos através do nosso planeta". 


"Foi aí, que comecei a refletir, a procurar um conceito, uma palavra, ou uma frase, a qual todos no Planeta pudessem entender e reconhecer, pois assim eu me sentiria inspirado a promover uma interação com outras pessoas ao redor do mundo. O antigo conceito grego das 7 Maravilhas do Mundo fluiu como uma ideia que poderia ser utilizada para essa finalidade. Assim em 1999, eu decidi revivê-la, como Pierre de Coubertin fez em 1896, com outro antigo conceito grego, o dos Jogos Olímpicos". 

"Portanto em 2000, comecei a New 7 Wonders, como um projeto do Milênio. Pela primeira vez na história da humanidade, um exercício democrático global, uma campanha de votação em todo o mundo, era tecnicamente possível. A ideia era simples e poderosa: “incentivar e solicitar as pessoas do mundo, a escolherem e elegerem um novo feito do homem, as sete maravilhas do mundo”. 


"Escolher quais eram os legítimos herdeiros dos antigos construtores das sete maravilhas do mundo. Eu chamei isso simplesmente, “As Novas 7 Maravilhas Oficiais do Mundo”. Oficial, porque queríamos reconhecer a autoridade suprema e a legitimidade concedida a nós, povos da terra, por uma escolha livre e democrática". 

"Assim que comecei, realizei consultas junto ao Centro do Patrimônio Mundial da UNESCO, em Paris, o que me permitiu aprofundar na escolha de locais, que viessem a se integrarem, num primeiro momento, junto ao site da New 7 Wonders. No entanto após essas escolhas, a UNESCO, não poderia continuar na jornada da New 7 Wonders, por causa das limitações a que se veriam expostas em função dos seus estatutos".   


"Após listar todos os possíveis patrimônios humanos, construídos ou naturais, a UNESCO, já não poderia ser envolvida em um processo de seleção que viria a se estreitar em 7". 

"Agora, a New 7 Wonders, tem uma parceria estabelecida com a Organização das Nações Unidas – ONU, diretamente em nível de sua sede mundial em Nova York, onde apoiamos inteiramente os esforços da ONU, para promover os Objetivos do Milênio". 


"Ao longo dos anos, em que durou a campanha “As 7 Novas Maravilhas Oficiais do Mundo”, a campanha crescia e crescia, atraindo milhões de eleitores. Durante o último ano dessa campanha, que foi de 2006 a 2007, através da New Seven Wonders World Tour, juntamente com minha equipe, nos visitamos os 21 finalistas, o que ampliou ainda mais o número de votos e elevou o nosso site a um pico fenomenal de participação". 

"Votos, e-mails, fotos e vídeos, chegavam literalmente de todas as partes do mundo.  O movimento global da New 7 Wonders, foi acumulado no maior evento do mundo, no dia 7, do mês 7, do ano de 2007, quando foi contabilizado o resultado de mais de 100 milhões de votos, os quais foram anunciados em Lisboa, e as Novas 7 Maravilhas Oficiais do Mundo, foram declaradas". 

"Desde então, a segunda maior campanha, para eleger (Official New 7 Wonders of Nature), “As 7 Novas Maravilhas Oficiais da Natureza”, foi iniciada e se encontra a todo vapor, com data para a declaração Oficial das Finalistas em 11/11/2011. Seu objetivo é resgatar ao Patrimônio Natural, o mesmo nível de apreciação que foi concedida ao mundo cultural, o que ocorreu graças à participação de milhões de pessoas, e que permitiu a New 7 Wonders, criar o que chamo de memória global, através de uma eleição global, que contou com a participação de milhões de pessoas ao redor do mundo"


"Essa memória global é agora um cânone de 7 monumentos, sete edifícios que simbolizam para o homem, a construção de um patrimônio no início desse terceiro milênio. E o mesmo acontecerá com as maravilhas naturais, quando eleitas".  

Bernard comenta: "Você sabia que 7 coisas, é exatamente o número de coisas que uma pessoa comum poderá se lembrar? Isso é porque, o nosso cérebro funciona apenas com força suficiente para desafiar e ancorar o 7, de modo que é pouco possível que esqueçamos delas".  


"E nesse aspecto a New 7 Wonders, está empenhada em aprofundar o legado de memória global, contribuindo na identificação, documentação, e preservação do patrimônio que é comemorado durante as campanhas.  O esforço de conservação em larga escala da New 7 Wonders, está sendo a criação de modelos de alta definição em 3D, das Sete Maravilhas Oficiais do Mundo Moderno"


"Estes modelos, virtualmente criados em escala, tem o objetivo de preservar esses monumentos, para a eternidade, o que viabiliza uma possível utilização na reconstrução desses monumentos, caso seja destruído no futuro". 

"A Fundação New Seven Wonders, foi de extrema importância nos esforços que aconteceram em 2002, para recriar a alta definição do modelo 3D, da grande estátua de Buda em Bamiyan, no Afeganistão, destruída em 2001. Um exemplo de como esse tipo de trabalho de preservação pode ser valioso. Em consonância com este objetivo, de documentação e preservação uma das coisas que a New 7 Wonders pretende fazer com os modelos de alta definição será enviá-los aos dados de suporte em órbita indestrutível. À medida que mais e mais coisas da terra, estão sendo armazenadas em órbita, esse ambiente pode muito bem tornar-se, em futuro, um importante local arqueológico". 

"Nesses últimos meses, eu e a equipe do New 7 Wonders, temos visitado muitos dos atuais 28 finalistas da campanha “The New 7 Wonders of Nature” o que nos permite através de parceiros licenciados, como o Astra Plataforma de Serviços e o Virtual Planet Group, compartilhar as atualizações desses incríveis eventos e como eles acontecem, assim como belas fotos e fascinantes vídeos".

"E ainda o Escritório das Nações Unidas para as parcerias e a Fundação New 7 Wonders, partilham objetivos e visões comuns, com o objetivo de envolver a sociedade civil na busca de soluções criativas para o Desenvolvimento dos Objetivos do Milênio da ONU".

O Brasil e os 28 finalistas da Campanha: As Sete Novas Maravilhas Oficiais da Natureza.

O Brasil inicialmente concorreu com 8 maravilhas, num total de 440 em todo o mundo.

Até 11/11/2011, os organizadores esperam que um bilhão de pessoas votem pelo telefone ou pela internet, para escolher, especialmente entre a Floresta Amazônica, Foz do Iguaçu, os Penhascos de Moher (Irlanda) ou o Mar Morto (entre Israel, Jordânia, e Palestina).

A Organização presidida pelo viajante e cineasta suíço, Bernard Weber, mantém no site da New 7 Wonders, a lista das semifinalistas, reduzida a 28 sítios naturais, após várias votações realizadas entre os 440 participantes iniciais. A escolha das Sete Maravilhas da Natureza ocorrerá entre os 28 sítios naturais, listados em seguida.

Veja a Lista das Finalistas, escolha as sete de sua preferencia entre no site da www.new7wonders.com e vote. 

YushanCordilheira situada na região central de Taiwan, além de nomear o ponto mais alto do local. Sua altura é 3,952 metros acima do nível do mar. O parque também é conhecido por sua fauna diversificada.

Vulcões de Lama do AzerbaijãoFormações que excretam líquidos e gases.

Monte VesúvioO famoso Vesúvio, é um vulcão situado a leste de Nápoles, na Itália. O Vesúvio ficou historicamente conhecido pela erupção que aconteceu em 79 d.C., o que levou a destruição das cidades romanas de Pompéia e Herculano.

Arenito UluruA mundialmente renomada formação de arenito Uluru, na Austrália, possui 348 metros de altura acima do nível do mar e 9,4 quilômetros de circunferência.

Table Mountain – Localizada próxima à cidade do Cabo, na África do Sul. É uma importante atração turística local, escalada por muitos visitantes.

Floresta Delta Sundarbans – Localizada na Foz do Rio Ganges, na Índia, é a maior floresta de manguezal do mundo. A região é conhecida por uma grande variedade de fauna.

Rio Subterrâneo Puerto PrincesaLocalizado nas Filipinas, o rio serpenteia por uma caverna com grandes formações de estalactites e estalagmites. 

Milford SoundÉ uma região montanhosa situada na Nova Zelândia, ali se destaca o Pico Elefante, com mais de 1,5 Km, e lembra a cabeça deste animal.

Montanha Matterhorn/Cervino – Situado na fronteira entre Suiça e Itália, é talvez a montanha mais familiar nos Alpes Europeus.

Lago Masurian – Localizado na Polônia, a região do Lago Masurian contém mais de 2 mil lagos ao longo de 290 quilômetros. 

Mar MortoLocalizado entre Israel, Jordânia e Palestina, o Mar Morto, é um imenso lago de água salgada. Suas águas apresentam 8,6 vezes mais salinização que as águas dos oceanos.

Cachoeira AngelSituada na Venezuela, é considerada a mais alta do mundo, possui um quilômetro de queda d’agua.

Cataratas de Foz do IguaçuCom 275 cataratas, se situa na divisa de Brasil e Argentina.

Ilhas GalápagosArquipélago situado no Equador dista 965 quilômetros da costa do continente sul americano.

Floresta AmazônicaÉ a maior floresta do Planeta, além do Brasil, se espalha por mais oito países da América do Sul, e possui um dos maiores registros de biodiversidade planetária.

Ilhas MaldivasSituada no oceano Índico, as ilhas possuem 26 atóis em sua formação, se situa a cerca de 700 quilômetros ao sudoeste do Sri Lanka.

Parque KomodoLocalizado na Indonésia, o Parque protege várias espécies de animais, incluindo o famoso dragão que lhe empresta o nome.

Monte Kilimanjaro – Situado na Tanzânia, o inativo vulcão do Kilimanjaro, possui três cones vulcânicos: Kibo, Mawensi e Shira.

Ilha JejuÉ uma ilha vulcânica, localizada a 130 quilômetros ao sul da costa na Coréia do Sul. 

Gruta de Jeita – Situada no Líbano, a gruta é composta de cavernas cristalizadas e se localiza ao norte de Beirute.

Baía HalongUma área repleta de rochas com limo e ilhas de diversos formatos, a baía se situa no Vietnã.

Grande Barreira de Corais da Austrália – É a maior aglutinação de corais do mundo, possui cerca de 3 mil recifes individuais.

Grand CanyonÉ uma das maiores formações rochosas do mundo, localizada nos Estados Unidos as formações do Grand Canyon se desenvolveram ao longo de seis milhões de anos.

Baía de Fundy – Situada no Canadá, a Baía é conhecida por ter uma das marés mais altas do planeta, podendo chegar a 16,2 metros. 

El YunqueÉ uma grande floresta situada em Porto Rico, é também o nome do segundo maior pico montanhoso do local.

Cliffs of MoherLocalizado na Irlanda, é um local cheio de antigas formações rochosas entrecortadas por um rio.

Bu Tinah ShoalsArquipélago dos Emirados Árabes Unidos possui uma grande formação de corais e extensões de areia.


Fonte: http://www.New7wonders.com

Goiás

PACTO PELA EDUCAÇÃO

Jornal OPÇÃO desta semana, dá destaque a reforma educacional.

Assunto é tema da coluna Ideias. Confira:
Projeto de Thiago Peixoto poderá realizar uma reforma profunda no Estado de Goiás

Fui convidado para participar, na Cidade de Goiás, da apresentação do projeto Pacto pela Educação, feita pelo secretário dessa pasta, o deputado federal Thiago Peixoto. Acompanho a atuação dessa secretaria há aproximadamente 20 anos e nesse período já tive inúmeras reuniões com as equipes das secretarias anteriores, discussões em grupos de estudo, eventos com a participação maciça de professores da rede estadual, discussões sobre matriz curricular, sobre bibliografia etc.

O primeiro aspecto positivo que merece destaque é a decisão de não realizar a apresentação do projeto só em Goiânia, mas sair da capital, convidar membros da sociedade civil organizada para, junto com professores e trabalhadores da rede, ouvirem e discutirem o projeto explicado detalhadamente pelo seu responsável, o próprio secretário.

O projeto tem cinco eixos norteadores, cinco “pilares”, como disse Thiago Peixoto. São eles: (1) valorizar e fortalecer o profissional da educação, (2) adotar práticas de ensino de alto impacto no aprendizado do aluno, (3) reduzir significativamente a desigualdade educacional, (4) estruturar um sistema de reconhecimento e remuneração por mérito e (5) realizar uma profunda reforma na gestão e na infraestrutura da rede estadual de ensino.

Naturalmente, não tenho espaço aqui para fazer uma análise de todos os aspectos do projeto, mas, antes de tecer algumas reflexões gerais, devo dizer que a estratégia do secretário é a correta. Com efeito, uma vez que ele fora apresentado nas suas linhas gerais, foram formados cinco grupos de discussão, um para cada “pilar”, a fim de que, a critério de cada um dos presentes, se escolhesse um para fazer propostas, observações críticas ou aprofundamentos sobre o projeto. Pelo visto, isso será feito em todas as subsecretarias regionais do Estado e seu impacto pode ser realmente profundo.

Pela forma como foi apresentado, então, um ponto a favor do projeto é que ele pretende, em torno dos eixos centrais, ser desenvolvido, aperfeiçoado e completado por aqueles mais diretamente interessados na melhora da educação do estado: professores, coordenadores de escola, tutores, trabalhadores da rede, subsecretários, professores universitários e, como disse, outros membros da sociedade civil organizada.

Já entrando nos detalhes do projeto, penso que ele acerta em começar pelo fundamental, a valorização e fortalecimento do profissional da educação. Na ementa desse primeiro eixo se afirma que os professores “merecem e devem ser reconhecidos por meio de ações como o pagamento do piso salarial nacional e a melhoria na carreira de modo a torná-la mais atrativa”, entre outros objetivos. 



Não posso deixar de dizer que o projeto põe em primeiro lugar o que, de fato, está na base do problema: valorizar os profissionais da educação da única forma efetiva, o que se consegue, também, por meio de uma melhora salarial. Mas o projeto também pretende outras ações, como a reforma e adequação da infraestrutura das instalações e a aquisição das novas tecnologias que estão sendo utilizadas atualmente. 


De forma correta, o secretário Thiago Peixoto viu que o aumento do salário não resolve nada se não há uma reforma da própria concepção do que é ambiente escolar e o próprio ensino. Os prédios não só devem ser reformados, mas devem ser adequados às novas tecnologias educacionais e a uma filosofia da educação mais realista e eficiente. 


No projeto se contempla a aquisição de notebooks para professores e estudantes da rede, entre outras ações de incentivo a professores, estudantes e à própria escola, como provê-la de acesso à internet.

Outro aspecto de importância fundamental está no terceiro eixo, que pretende “reduzir significativamente a desigualdade educacional”. Uma das formas de fazê-lo é por meio do Programa de Suporte às Escolas Vulneráveis. 



A ideia de fato é louvável, porque a diversidade regional implica em diferença de condições e, sem dúvida, escolas de periferia, do interior, ou muito afastadas de cidades pequenas, não podem ser tratadas igual às escolas da capital ou de cidades com melhores condições de vida.

Escutei atentamente o secretário na apresentação do projeto e participei ativamente num dos grupos de trabalho. Fiquei realmente muito entusiasmado pelo projeto e parabenizo o deputado Thiago Peixoto pela iniciativa. Vou terminar com uma frase feliz dita por ele no final da reunião, que espero que seja o que realmente ocorra com a educação do Estado: “transformar o problema de poucos em compromisso de todos”.

Gonçalo Armijos Palácios
Publicado no Jornal Opção na edição 1892 de 9 a 15 de outubro
Fonte: Ascom Seduc

Goiás



Reforma educacional

Pacto Pela Educação será debatido em Goiânia nesta segunda-feira, 10

Subsecretaria metropolitana é a penúltima a discutir reforma educacional
Depois de percorrer 36 Subsecretarias Regionais de Educação no último mês, a discussão sobre a reforma educacional anunciada em 5 de setembro pelo secretário de Estado da Educação, Thiago Peixoto, e pelo governador Marconi Perillo chega a Goiânia. 


Nesta segunda-feira, 10, às 14 horas, no auditório do Instituo Emmanuel, Thiago Peixoto irá explicar as 25 ações de grande impacto previstas dentro dos cinco pilares do plano de reestruturação do ensino em Goiás.


Professores, gestores, coordenadores pedagógicos, estudantes, servidores administrativos da educação e representantes da comunidade estão convidados a participar do debate sobre as ideias que irão promover profunda mudança no sistema educacional no Estado. O objetivo é aperfeiçoar o plano de reforma, que serviu de documento-base para todas as discussões.


Agende-se


Evento: Discussão das diretrizes do Pacto Pela Educação em Goiânia
Hora: 14 horas
Local: Instituto Emmanuel (Avenida Cora Coralina, nº 407, Setor Sul)


Mais informações pelo site www.seduc.go.gov.br/especiais/pactopelaeducacao ou no telefone 3201 3020.
Fonte: Seduc

sexta-feira, outubro 07, 2011

Goiás

PACTO PELA EDUCAÇÃO

Caravana da Educação conclui visita às 38 regionais na próxima semana.

Secretário Thiago Peixoto participou dos encontros em todo o estado

O secretário de Estado da Educação, Thiago Peixoto, conclui na próxima semana as visitas às 38 Subsecretarias Regionais de Educação do estado para a discussão com a comunidade das diretrizes do Pacto pela Educação, o conjunto de 25 diretrizes do plano de reforma educacional. 


Neste sábado ele estará, a partir das 8h30, em Aparecida de Goiânia, no Colégio Estadual Donato Coutinho, na Cidade Vera Cruz. Após concluir esta etapa de discussões, as bases da reforma educacional serão debatidas com diferentes setores da sociedade na capital. 


Só nesta semana, o secretário Thiago Peixoto e a caravana da educação estiveram em Morrinhos e Piracanjuba, na segunda-feira; em Anápolis, na terça; em Jussara e Goiás, na quarta-feira; em Jataí, Itaberaí e Itapuranga, na quinta; e em Pires do Rio, São Luis de Montes Belos e Palmeiras de Goiás na sexta. 


Além de Aparecida de Goiânia, que receberá a caravana no sábado, a equipe da Secretaria da Educação debaterá o Pacto com os educadores e comunidade da capital, no Instituto Educacional Emmanuel, na segunda-feira, às 14h; e com a comunidade de Iporá, na terça-feira (11). 


A cada dia vem crescendo a participação nos debates de líderes comunitários, estudantes, vereadores, prefeitos e outras autoridades locais, enriquecendo a proposta feita pela Secretaria de Estado da Educação para o Pacto pela Educação. 


Nos encontros, em que fala dos cinco pilares da reforma do ensino em Goiás, o secretário Thiago Peixoto destaca que todas as medidas previstas no plano de reforma vão gerar um impacto positivo na sala de aula. 


Cada comunidade aprofunda o debate nas questões que entende serem prioritárias para a região. Em Jataí, por exemplo, os participantes da reunião de trabalho se ativeram às medidas que afetam mais diretamente as escolas rurais, em função da vocação agrícola da região. 


O Pacto propõe uma série de ações para dar suporte à educação no campo. A profissionalização no ensino médio, conforme a proposta que está sendo formulada no Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), também tem despertado o interesse da comunidade. 


As discussões que a Secretaria da Educação tem promovido nas diferentes regiões do estado acerca das mudanças para a educação na rede pública estadual representam uma ação inédita em Goiás. Esta é a primeira vez que a população é chamada a debater os rumos da educação com tamanha amplitude. 


A equipe que compõe a caravana da educação nas regionais tem reunido todas as sugestões que são apresentadas por professores, gestores, coordenadores pedagógicos, estudantes, servidores administrativos da educação e representantes da comunidade. O objetivo é aperfeiçoar o plano de reforma, que serviu de documento-base para todas as discussões. 


Fonte: Ascom Seduc

Postagens populares

ONU Brasil

Portal IBRE

Governo de Goiás

São Paulo