As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders

As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders
A América do Sul ganhou com a Floresta Amazônica e a Foz do Iguaçú

quarta-feira, fevereiro 27, 2013

OIT – Organização Internacional do Trabalho, destaca avanço das Agendas Estaduais de Trabalho Decente




BRASÍLIA (Notícias da OIT) – A Diretora do Escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Laís Abramo, destacou hoje o avanço do trabalho decente no País, com a elaboração de agendas estaduais sobre o tema. “A Agenda representa uma integração das políticas públicas e um importante acordo que proporciona o diálogo entre empregadores, trabalhadores, governo e sociedade civil”, disse.

Laís Abramo participou em Palmas, capital do estado do Tocantins, da assinatura de um Memorando de Entendimento entre o Governo do Estado do Tocantins, a OIT, o Ministério Público do Trabalho, a Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego e a Justiça do Trabalho. No documento, estas entidades se comprometem com a execução de um Programa Especial de Cooperação Técnica para a promoção da Agenda Estadual de Trabalho Decente.

A Diretora da OIT destacou, em palestra, que depois da I Conferência Nacional de Emprego e Trabalho Decente (I CNETD), realizada em agosto do ano passado em Brasília, intensificou-se o compromisso de construção de agendas subnacionais, nos Estados do Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, São Paulo, Sergipe e, agora, Tocantins, além do Distrito Federal. Paraná, Piauí e Alagoas já estão construindo suas agendas e a OIT assinou Memorandos de Entendimento com Paraná, Minas Gerais, Pernambuco e Tocantins.

Em sua palestra, Laís Abramo apresentou diversos indicadores sobre a situação do mercado de trabalho no Estado. Mostrou, por exemplo, que em Tocantins a taxa de desemprego juvenil na faixa entre 15 e 24 anos, de 13,5%, é inferior à média nacional, de 17,8%, mas atinge mais as mulheres (19,3%) do que os homens (9,6%). Na mesma faixa etária, os jovens que não estudam nem trabalham representam 12,8% do total, enquanto que a média brasileira é de 18,4%.

O Estado, no entanto, ainda sofre com a alta taxa de informalidade, que atinge 63,6%, enquanto a média nacional é de 45,7%. O problema atinge 61,9% dos homens (43% média nacional), 65,8% das mulheres (49,3% nacional). Destes, 52% são homens brancos e 67,2% são homens negros. O problema é acentuado entre as mulheres negras, que apresentam a taxa de informalidade de 70,5% diante de 57,5% da média nacional.

Entre 2004 e 2009, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população ocupada com 16 anos ou mais de idade que contribui para a Previdência Social aumentou de 30,7% para 39,5%.

A Diretora da OIT destacou, ainda, que com a realização da I CNETD, houve diversos ganhos para os estados participantes do processo:

·          Ampliação da discussão do tema em todo o território nacional;

·     Cada Estado apropriou-se do tema à sua maneira, associando-se a diferentes parceiros e contemplando especificidades regionais;

·    Mais de 280 conferências e eventos preparatórios foram realizados, envolvendo aproximadamente 25 mil pessoas;

·        As Secretarias de Trabalho e o Fórum Nacional de Secretários do Trabalho (FONSET) desempenharam um papel central neste processo.

Publicado em http://www.oit.org.br

domingo, fevereiro 24, 2013

"Argo", de Ben Affleck, fatura Oscar de melhor filme







(Reuters)
segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 02:02 BRT
 
[-Texto [+]

LOS ANGELES, 25 Fev (Reuters) - O Oscar de melhor filme foi para "Argo", de Ben Affleck, anunciou a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, em transmissão ao vivo da Casa Branca, em Washington, na madrugada desta segunda-feira.
Em Los Angeles, o ator Jack Nicholson subiu ao palco do Teatro Dolby para apresentar os indicados da categoria e chamar Michelle, na 85ª cerimônia de entrega dos prêmios da Academy Awards.
Dirigido e estrelado por Affleck, Argo recria trama de um falso filme para salvar reféns no Irã em 1980. Com base em fatos reais, o longa mostra como foi engenhoso o resgate de seis diplomatas norte-americanos refugiados na embaixada canadense no turbulento Irã, em 1980.
Affleck oferece no início da projeção uma narrativa em quadrinhos sobre como os EUA ajudaram o xá Mohammad Reza Pahlavi a governar, a partir de interesses econômicos, até sua deposição em 1979 pelo célebre aiatolá Khomeini.
O asilo político oferecido a Reza Pahlavi enfureceu a população iraniana na época, que via no antigo xá um criminoso a ser julgado. Após a negativa do pedido de extradição do xá, as ruas iranianas foram tomadas por protestos, que culminariam na invasão da embaixada dos EUA em Teerã.
Esse foi o ponto de partida da histórica "crise dos reféns" (1979-1981), em que os seguidores de Khomeini mantiveram presos, por 444 dias, 52 norte-americanos em retaliação à presença do antigo xá em território dos EUA.
"Argo", no entanto, conta o que aconteceu com os seis diplomatas que conseguiram escapar à invasão. Escondidos na embaixada do Canadá, esperavam que a inteligência norte-americana os tirasse de lá o mais rápido possível. Como não havia condições de se iniciar uma guerra contra o Irã, apelou-se para formas pouco ortodoxas para recuperar estes cidadãos.
Também concorriam ao prêmio, "A Hora Mais Escura", "O Lado Bom da Vida", "As Aventuras de Pi", "Lincoln", "Os Miseráveis", "Django Livre", "Indomável Sonhadora" e "Amor".

Daniel Day-Lewis leva esperado Oscar de melhor ator por "Lincoln"


(Reuters)

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 01:53 BRT
 
[-Texto [+]


LOS ANGELES, 25 Fev (Reuters) - Daniel Day-Lewis conquistou o esperado Oscar de melhor ator por interpretar o ex-presidente norte-americano Abraham Lincoln em "Lincoln", durante a cerimônia de entrega dos prêmios Academy Awards, no Teatro Dolby, em Los Angeles, na madrugada desta segunda-feira.
O drama presidencial de época da Guerra Civil norte-americana "Lincoln", do cineasta Steven Spielberg, recebeu 12 indicações ao Oscar.
O roteiro de Tony Kushner ("Angels in America", "Munique"), baseado parcialmente em livro da historiadora Doris Kearns Goodwin, focaliza o dramático ano de 1865, quando o exaurimento do sul dos Estados Unidos prenunciava o fim da Guerra de Secessão.
Ao mesmo tempo, começava um embate dentro do Congresso dos Estados Unidos pela aprovação da de uma emenda à Constituição que definiria a libertação dos escravos, assunto que também estava por trás da guerra, já que a economia sulista baseava-se na agricultura dependente dessa mão-de-obra.
Reeleito para um segundo mandato, o republicano Abraham Lincoln (Daniel Day-Lewis) luta nas duas frentes. Ele quer terminar a guerra, que tantas vidas já custou, e acabar com a escravidão.
Os atores Bradley Cooper (O Lado Bom da Vida), Hugh Jackman (Os Miseráveis), Joaquin Phoenix (O Mestre) e Denzel Washington (O Voo) também concorriam ao prêmio nesta categoria.

Taiwanês Ang Lee ganha Oscar de melhor diretor por "As Aventuras de Pi"


(Reuters)

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 01:38 BRT
 
[-Texto [+]

LOS ANGELES, 25 Fev (Reuters) - O cineasta taiwanês Ang Lee ganhou o Oscar de melhor diretor por seu trabalho em "As Aventuras de Pi", durante a 85a cerimônia de entrega dos prêmios concedidos pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, no Teatro Dolby, em Los Angeles, na madrugada desta segunda-feira.
Lee já ganhou um Oscar de melhor diretor em 2005 pelo romance "O Segredo de Brokeback Mountain". Também dirigiu "O Tigre e o Dragão", "Tempestade de Gelo", "Desejo e Perigo" e "Hulk".
Radicado nos Estados Unidos, Lee recorreu ao 3D e à fantasia para contar a história do adolescente Pi, adaptada do best-seller do autor franco-canadense Yann Martel.
O real tema do enredo é um radical aprendizado de sobrevivência ao qual não faltam momentos engraçados e cenários de uma beleza magnífica.
Pi Patel (Suraj Sharma) é filho do dono de um zoológico na Índia, que decide vender o negócio devido ao cancelamento de incentivo municipal. Com a esperança de sair do país para vender os animais e recomeçar a vida, a família sofre um revés.
O cargueiro onde todos viajam naufraga em meio a uma tempestade. O adolescente Pi sobrevive e fica à deriva no oceano num bote salva-vidas na perigosa companhia de uma zebra, um orangotango, uma hiena e um tigre de bengala.
Também concorriam nesta categoria os diretores Michael Haneke (Amor), David O. Russell (O Lado Bom da Vida), Steven Spielberg (Lincoln) e Benh Zeitlin (Indomável Sonhadora).
Os diretores Tom Hooper ("Os Miseráveis"), Kathryn Bigelow ("A Hora Mais Escura") e Quentin Tarantino ("Django Livre") foram deixados de fora da lista de nomeados, embora seus filmes tenham recebido indicações aos Oscar.

Oscar de melhor atriz vai para Jennifer Lawrence por "O Lado Bom da Vida"


(Reuters)

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 01:48 BRT
 
[-Texto [+]



LOS ANGELES, 25 Fev (Reuters) - Jennifer Lawrence levou o Oscar de melhor atriz por seu trabalho em "O Lado Bom da Vida", durante a cerimônia de entrega dos Academy Awards, no Teatro Dolby, em Los Angeles, na madrugada desta segunda-feira.
A comédia romântica conta a história de Pat Jr. (Bradley Cooper), que retorna para casa após temporada em uma clínica para problemas emocionais, o que faz a mãe Dolores (Jacki Weaver) acreditar que a paz está voltando à família.
O reencontro com o pai, Pat (Robert De Niro) é alegre, mas fica algo de estranho no ar. Não demora muito para se perceber que ninguém nesta casa é tão normal assim na comédia dramática e romântica dirigida por David O. Russell ("O Vencedor"), que também assina o roteiro, baseado num romance de Matthew Quick.
Dolores é, na verdade, um dos poucos elos com a sanidade entre os personagens do filme. A volta ao lar para Pat Jr. é motivo de esperança de reconquistar sua ex-mulher, Nikki (Brea Bee), de quem ele não pode, por ordem judicial, aproximar-se, depois de um surto agressivo.
Um casal de amigos o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), também problemática. A moça acaba de perder o marido policial num acidente. Transtornada, ela transa com todos os colegas de escritório até perder o emprego.
São essas duas almas perdidas no mundo e precisando um do outro, embora eles ainda não o saibam, que dão o tom à história.
As atrizes Jessica Chastain (A Hora Mais Escura), Emmanuelle Riva (Amor), Quvenzhané Wallis (Indomável Sonhadora) e Naomi Watts (O Impossível) também disputavam o Oscar nesta categoria.
Wallis, de 9 anos, é a atriz mais jovem a ser indicada na principal categoria de melhor atriz.

Tarantino ganha Oscar de melhor roteiro original por "Django Livre"


(Reuters)

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 01:32 BRT
 


LOS ANGELES, 25 Fev (Reuters) - O cineasta Quentin Tarantino ganhou o Oscar de melhor roteiro original por "Django Livre", na 85a cerimônia de entrega do Oscar no Teatro Dolby, em Los Angeles, na madrugada desta segunda-feira.
Em Django Livre, Tarantino combina um faroeste de ação e aventura, incluindo caubóis, com uma narrativa de vingança racial ambientada no século 19, antes da abolição da escravidão nos Estados Unidos.
Ele começa sua narrativa a partir do doutor King Schultz (Christoph Waltz, vencedor do Oscar de melhor ator coadjuvante), dublê de dentista e na prática caçador de recompensas que cruza o caminho do escravo Django (Jamie Foxx).
Schultz quer comprar Django de seus novos donos, porque ele é um dos poucos a conhecer a fisionomia de um trio criminoso que tem sua cabeça a prêmio. A negociação pela compra vai mal e acaba com mortos e feridos pelo chão, mas também com alguns escravos libertos sem esperar.
Schultz e Django formam, então, a dupla que vai chocar as fazendas sulistas quando os seus proprietários racistas virem um negro não só vestido na maior estica, dentro de um figurino bastante colorido, como montado a cavalo, como homem livre.
Django mostra tanto seu valor como auxiliar do caçador de recompensas que Schultz topa ajudá-lo na missão de sua vida -reencontrar sua mulher, Broomhilda (Kerry Washington), que foi vendida a uma enorme fazenda distante, pertencente ao perverso Calvin Candie (Leonardo DiCaprio).
Michael Haneke (Amor), John Gatins (O Voo), Wes Anderson e Roman Coppola (Moonrise Kingdom) e Mark Boal (A Hora Mais Escura) também concorriam ao Oscar nesta categoria.

Anne Hathaway ganha Oscar de melhor atriz coadjuvante por "Os Miseráveis"


(Reuters)

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 00:44 BRT
 
[-Texto [+]
Anne Hathaway ganha o Oscar de melhor atriz coadjuvante por seu trabalho em "Os Miseráveis", em Los Angeles, nos Estados Unidos, na madrugada desta segunda-feira. 25/02/2013 REUTERS/Mario Anzuoni

LOS ANGELES, 25 Fev (Reuters) - Anne Hathaway ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante por seu trabalho em "Os Miseráveis", durante a cerimônia de entrega dos Academy Awards, no Teatro Dolby, em Los Angeles, na madrugada desta segunda-feira.
Atriz norte-americana, Anne já atuou em filmes como "Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge", "O Diabo Veste Prada" e "O Diário da Princesa".
O enredo de "Os Miseráveis", inspirado no romance do autor francês Victor Hugo, em 1862, parte diretamente de sua adaptação musical de 1985 e já foi traduzida em mais de 20 línguas e assistida por mais de 60 milhões de pessoas em palcos de todo o mundo.
A história acontece em plena Revolução Francesa, quando Jean Valjean (Hugh Jackman) rouba um pão para matar a fome de sua irmã e acaba sendo preso e condenado a trabalhos forçados.
Depois de uma longa sentença de 19 anos, alguns acrescentados por tentativas de fuga, ele finalmente é libertado. Uma libertação que o obriga a se apresentar constantemente à Justiça e que, por conta de sua ficha criminal, na prática o impede de conseguir trabalho.
Perseguido sem tréguas por um obcecado inspetor, Javert (Russell Crowe), Valjean decide escapar deste círculo vicioso. Desaparece no mundo e ressurge, anos depois, com uma nova identidade, já como prefeito e industrial.
Seu destino se liga a Fantine (Anne Hathaway), operária demitida de sua fábrica por um supervisor, que caiu na miséria e na prostituição para sustentar uma filha, Cosette (quando menina, interpretada por Isabelle Allen).
A garota acaba se tornando responsabilidade de Valjean, que continua sua fuga, sempre perseguido por Javert.
Quando moça, Cosette (agora vivida por Amanda Seyfried), que desconhece a verdadeira história de seu protetor, apaixona-se por Marius (Eddie Redmayne), um dos estudantes envolvidos numa rebelião antimonarquista que caminha para um confronto trágico com os soldados do rei, em 1832.
O musical britânico "Os Miseráveis" projeta sua história recheada de sofrimento, fuga, paixão, renúncia e redenção. Mesmo não sendo cantores profissionais, todos os atores concordaram com cantar ao vivo, acompanhando as melodias executadas por pianistas no set através de fones de ouvido.
Também disputavam o prêmio nesta categoria as atrizes Amy Adams (O Mestre), Sally Field (Lincoln), Helen Hunt (As Sessões) e Jacki Weaver (O Lado Bom da Vida).

"Amor" leva Oscar de melhor filme em língua estrangeira


(Reuters)

domingo, 24 de fevereiro de 2013 23:57 BRT
 
[-Texto [+]

LOS ANGELES, 24 Fev (Reuters) - "Amor", do cineasta austríaco Michael Haneke, ganhou o Oscar de melhor filme em língua estrangeira neste domingo durante a cerimônia de entrega dos prêmios Oscar concedidos pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, em Los Angeles.
"Amor" trata da dignidade da velhice e do direito de escolher a própria morte quando a saúde e a sanidade se esgotam.
Numa história de aparente simplicidade, acompanha-se o cotidiano de um velho casal, Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuele Riva), levando adiante sua rotina num apartamento em Paris.
O público é cativado pela normalidade de duas pessoas comuns, entretidas com as pequenas tarefas, das compras, da manutenção da casa, da atenção e da paciência com as manias há muito conhecidas um do outro. A doença de Anne quebra este equilíbrio a dois.
Também disputavam o Oscar nesta categoria os filmes "Expedição Kon Tiki" (Noruega), "Não" (Chile), "O Amante da Rainha" (Dinamarca) e "A Feiticeira da Guerra" (Canadá).
O filme brasileiro "O Palhaço" ficou fora da disputa pelo Oscar de melhor filme estrangeiro. Dirigido pelo também ator Selton Mello, o filme havia sido escolhido para representar o Brasil na disputa, mas não avançou na pré-seleção da Academia, em dezembro, para ser indicado à estatueta.

Oscar de melhor fotografia vai para "As Aventuras de Pi"


(Reuters)

domingo, 24 de fevereiro de 2013 23:10 BRT
 
[-Texto [+]



LOS ANGELES, 24 Fev (Reuters) - Claudio Miranda ganhou o Oscar de melhor fotografia pelo filme "As Aventuras de Pi", neste domingo, durante a 85 cerimônia de entrega do Oscar no Teatro Dolby, em Los Angeles.
O cineasta Ang Lee recorreu ao 3D e à fantasia para contar a história do adolescente Pi, adaptada do best-seller do autor franco-canadense Yann Martel.
O real tema do enredo é um radical aprendizado de sobrevivência ao qual não faltam momentos engraçados e cenários de uma beleza magnífica.
Pi Patel (Suraj Sharma) é filho do dono de um zoológico na Índia, que decide vender o negócio devido ao cancelamento de incentivo municipal. Com a esperança de sair do país para vender os animais e recomeçar a vida, a família sofre um revés.
O cargueiro onde todos viajam naufraga em meio a uma tempestade. O adolescente Pi sobrevive e fica à deriva no oceano num bote salva-vidas na perigosa companhia de uma zebra, um orangotango, uma hiena e um tigre de bengala.
Também disputavam o prêmio nesta categoria os filmes "Anna Karenina", "Django Livre", "Lincoln" e "007 - Operação Skyfall".

Christoph Waltz ganha Oscar de melhor ator coadjuvante por "Django Livre"


(Reuters)

domingo, 24 de fevereiro de 2013 23:43 BRT
 
[-Texto [+]




LOS ANGELES, 24 Fev (Reuters) - O austríaco Christoph Waltz ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante por seu papel como um dentista que virou um caçador de recompensas em "Django Livre", na 85a cerimônia de entrega do Oscar no Teatro Dolby, em Los Angeles, neste domingo.
Em "Django Livre", o cineasta Quentin Tarantino combina um faroeste de ação e aventura, incluindo caubóis, com uma narrativa de vingança racial ambientada no século 19, antes da abolição da escravidão nos Estados Unidos.
"Nós participamos da jornada de um herói, o herói, no caso, é Quentin", disse Waltz com a voz embargada, ao receber o prêmio.
O primeiro sucesso do ator austríaco em Hollywood foi com o papel de um maligno, embora encantador, coronel nazista em “Bastardos Inglórios", de Tarantino, pelo qual conquistou a estatueta da Academia em 2010.
Waltz, de 56 anos e filho de cenógrafos, trabalhou no teatro, cinema e TV alemão na maior parte dos seus 30 anos de carreira, até ser apresentado a Tarantino. Até então suas tentativas de atuar numa produção em inglês não tinham sido bem-sucedidas.
Também concorriam ao prêmio nesta categoria os atores Alan Arkin (Argo), Robert de Niro (O Lado Bom da Vida), Philip Seymour Hoffman (O Mestre) e Tommy Lee Jones (Lincoln).

Celebridades chegam ao tapete vermelho para a festa do Oscar


(Reuters)

domingo, 24 de fevereiro de 2013 22:31 BRT
 
[-Texto [+]
Por Jill Serjeant
LOS ANGELES, 24 Fev (Reuters) - As maiores estrelas de Hollywood desfilaram e posaram no tapete vermelho do Oscar neste domingo, numa noite em que "Argo", que retrata o drama de reféns norte-americanos durante a Revolução Iraniana, e "Lincoln", história sobre o ex-presidente dos Estados Unidos, disputam arduamente o prêmio de melhor filme.
As indicadas para o Oscar Jessica Chastain, cintilante em um vestido tomara-que-caia dourado Armani Privé, e Amy Adams, num modelo cinza sem alças de Oscar de la Renta, estavam entre as primeiras a caminhar pelos 150 metros de tapete vermelho, sob um sol forte no fim de tarde em Los Angeles.
Quvenzhané Wallis, de 9 anos e candidata ao Oscar de melhor atriz pelo filme alternativo "Indomável Sonhadora", levou uma bolsa em formato de filhote de cachorro, para o deleite dos mais de 100 fotógrafos e cinegrafistas de todo o mundo.
Com muitos candidatos em condições de disputar os prêmios, vários grandes sucessos de bilheteria para se celebrar e um apresentador de primeira viagem, o imprevisível Seth MacFarlane, as surpresas darão o tom quando forem abertas as cortinas da 85a edição do Oscar.
Daniel Day-Lewis, no papel do ex-presidente dos Estados Unidos Abraham Lincoln, é considerado imbatível e prestes a se tornar o primeiro homem a conquistar três estatuetas do Oscar de melhor ator.
E um burburinho estava indicando uma possível virada na disputa para melhor atriz, com o aumento das chances de Emmanuelle Riva, de 86 anos, da França.
Riva, estrela do angustiante filme austríaco "Amor", era tida até alguns dias atrás como cavalo fora do páreo numa corrida que tinha como principais favoritas Jessica Chastain, de "A Hora Mais Escura", e Jennifer Lawrence, de "O Lado Bom da Vida".
Uma vitória de Riva iria torná-la a pessoa mais idosa a ganhar um Oscar de melhor intérprete.
"Lincoln" chega à cerimônia do Oscar, de mais de três horas de duração, com 12 indicações, incluindo a de melhor diretor, para Steven Spielberg, que já ganhou a estatueta por duas vezes.
Mas sua condição de favorito a melhor filme foi prejudicada pela sucessão de prêmios obtidos nas últimas semanas por "Argo", de Ben Affleck.
"É um ano interessante", disse Matt Atchity, editor-chefe do site de cinema Rotten Tomatoes.
"Acho que 'Argo' provavelmente tem a melhor condição. Está certamente em seu grande momento. Ganhou muitos prêmios e acho que certamente é o filme do momento", disse Atchity à Reuters.
Se "Argo" conquistar o prêmio principal, será a primeira produção a ganhar o Oscar de melhor filme sem que seu diretor tenha sido indicado para disputar como melhor diretor desde "Conduzindo Miss Daisy", em 1990.
ANNE HATHAWAY, A FAVORITA
Na disputa pelo prêmio de melhor filme de 2012 estão o musical "Os Miseráveis", a comédia "O Lado Bom da Vida", a história de naufrágio "As Aventuras de Pi", o suspense "A Hora Mais Escura" - sobre a captura de Osama bin Laden --, o faroeste da época da escravidão "Django Livre" e o filme alternativo "Indomável Sonhadora", e "Amor".
Em outras categorias, apenas Anne Hathaway é considerada uma aposta certa para levar para casa a estatueta dourada, depois passar fome e ter os cabelos cortados como atriz coadjuvante no papel da trágica Fantine, em "Os Miseráveis".
Os especialistas no Oscar dizem que Steven Spielberg pode perder na categoria de diretor para o taiwanês Ang Lee, por sua façanha técnica e imaginativa ao filmar o fantástico "A Aventura de Pi", com um elenco de animais exóticos.
E o Oscar de melhor ator coadjuvante poderá ir para qualquer um dos cinco indicados: Robert De Niro ("O Lado Bom da Vida"), Alan Arkin ("Argo"), Christoph Waltz ("Django Livre"), Tommy Lee Jones ("Lincoln") e Philip Seymour Hoffman ("O Mestre").
Os vencedores do Oscar são escolhidos em votação secreta por cerca de 5.800 membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood e o prêmio é entregue pessoalmente diante de uma plateia de 3.300 convidados, e com dezenas de milhões de pessoas acompanhando a cerimônia pela TV em todo o mundo.
Após vários anos com filmes premiados que tiveram pouco público, neste ano nove concorrentes de melhor filme arrecadaram mais de 2 bilhões de dólares em ingressos em todo o mundo.
Os produtores da cerimônia do Oscar estão prometendo um show de ritmo acelerado embalado com música e grandes performances. Mas o homem que primeiro receberá a atenção do público será MacFarlane, o comediante provocador mais conhecido pela série de TV "Family Guy" e um estreante como anfitrião do Oscar.
"Nós não temos como saber o que funciona até colocá-lo lá e ver com se sai diante de uma plateia", disse o coprodutor da cerimônia Craig Zadan à Reuters.
"É um show ao vivo, e isso é sempre imprevisível. Depois que o trem parte da estação o que tiver de acontecer, acontece."

O Futuro é Agora


Bebel Gilberto


Vim ao mundo em Nova York, mas o coração é brasileiro. Brasileiríssimo, devo frisar. E as raízes também. Nasci numa situação privilegiada: culturalmente, cresci em ebulição; financeiramente, nunca me faltou nada. Não é o caso das crianças estampadas nestas páginas, e muitas outras, privadas de algumas das coisas mais básicas. Natural, portanto, aceitar o convite para participar do Projeto Jeitos de Aprender na Educação Infantil. São ações como essas que, de fato, fazem a diferença num mundo tão desigual. Fechados em bolhas, seguros em condomínios, passamos por vezes alheios. Chamados como esse nos humanizam, jogam na cara o que muitas vezes empurramos pra debaixo do tapete.

Estou numa típica manhã fria dessas que fazem em São Paulo. Desço do meu confortável quarto no hotel Emiliano, no bairro nobre dos Jardins, onde estou hospedada. Numa van, rumo à Escola Zuleika Pereira Leite, no Campo Limpo. E a mesma São Paulo, cantada de forma tão poética por alguns dos meus compositores favoritos, vai mudando de cenário. Entre os trancos e barrancos, os do asfalto e os da vida, chego ao meu destino. A rua é bucólica. Vazia. Um portão azul completa a paisagem. E o som das crianças brincando atrás dele vai deixando o coração mais quente. Bem mais quente, aliás. Crianças quando brincam são todas iguais, penso, relembrando da minha própria infância. E da saudade. Mas, quando termina a brincadeira, a realidade é outra. E pode ser dura.

A Escola Zuleika Pereira Leite faz parte do bonito projeto capitaneado pela Bulgari, que, junto à fundação Abrinq, Save the Children, ajuda milhares de crianças e professores, arrecada milhões, constrói escolas, fortalece a educação e, consequentemente, o futuro. São mais de 7 milhões de pessoas beneficiadas no mundo inteiro. Com orgulho, aceitei o posto de embaixadora do programa social patrocinado pela joalheria italiana que, como parte das comemorações dos seus 125 anos, optou por fazer a sua parte. Quis contribuir com a sociedade, celebrando o seu passado enquanto olha para o futuro. Well done. Mais do que doar dinheiro para a causa, o que por si só já seria nobre, prefere usar as suas tantas conexões para angariar fundos. Como o anel desenvolvido pela marca, feito de prata e cerâmica, com parte da venda revertida à fundação. A escolha de artistas nacionais ajuda a dar cara à causa em cada país. Já participaram Sting, Leighton Meester, Isabella Rossellini, Juliane Moore, Ricky Martin, Benicio Del Toro, Jessica Biel… todos espontaneamente. Sem lucrar com isso, quero dizer. Sem lucrar financeiramente, já que se trata de uma típica ação emocionalmente positiva. Somos voluntários, juntos por um futuro melhor.

Como é gostoso estar com crianças. Ali, no pátio do colégio, fui cercada por dezenas delas. Numa roda, cantei músicas da minha infância e aprendi outras da nova geração. Aprendi também a nova versão do “Atirei o Pau no Gato”, a politicamente correta, meio chata (rs), que virou “Não atiro o Pau no Gato”… mas tudo bem. Juntos, colocamos a “mão na massa”, ou melhor, na tinta. E pude ver aqueles meninos e meninas ganhando a promessa de uma educação mais concreta, a fé de um futuro mais feliz. E a certeza de que, no fim das contas, quem ganhou fui eu. Uma dose de vida real com as crianças carentes de Campo Limpo. Assim, na veia.

Por Bebel Gilberto
De Fundação Abrinq



*Matéria publicada na Revista RG"

sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Projeto brasileiro para conservação do solo e da água recebe premiação internacional.

                                                  Os projetos visam evitar a erosão do solo e a poluição das nascentes dos rios

O projeto Conservador das Águas concorreu ao Prêmio Internacional de Dubai para Boas Práticas com aproximadamente 400 projetos de todo o mundo

Os projetos visam evitar a erosão do solo e a poluição das nascentes dos rios. O projeto Conservador das Águas promove a preservação da água e do solo e é resultado da parceria entre a Agência Nacional de Águas (ANA), Prefeitura Municipal de Extrema (MG), The Nature Conservancy (TNC), Instituto Estadual de Florestas (IEF) e Governo do Estado de Minas Gerais. O Prêmio será entregue no dia 6 de março, em Dubai.

O Conservador das Águas concorreu com, aproximadamente, 400 projetos de todo o mundo, onde foram analisados pelo Comitê Técnico do evento. O projeto faz parte de 12 trabalhos reconhecidos pela premiação oferecida pela Prefeitura de Dubai e pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat).

A iniciativa é pioneira no âmbito do Programa Produtor de Água, que foi criado pela ANA em 2001 com o objetivo de revitalizar bacias hidrográficas do País. De acordo com a metodologia do Produtor de Água, o resultado das ações implantadas em uma bacia pode ser verificado pela melhoria da qualidade e aumento da vazão e permanência de água ao longo do ano nos cursos d’água.

Produtor de Água

O Produtor de Água tem por finalidade promover a recuperação ambiental da bacia, utilizando o pagamento por serviços ambientais como estratégia para incentivar a adoção das práticas de conservação de água e solo, como: cercamento de nascentes, plantio de matas ciliares, adequação de estradas rurais, construção de barraginhas e demais iniciativas que facilitem a infiltração de água a fim de evitar a erosão e o assoreamento de rios.

Outros prêmios


  •  Em maio, o Conservador das Águas foi vencedor do prêmio Greenvana Greenbest na categoria “Iniciativas Governamentais”, escolhido pela Academia Greenbest.
  •  Recentemente a iniciativa recebeu os prêmios Caixa Melhores Práticas em Gestão Local 2011/2012, Furnas Ouro Azul e Bom Exemplo 2011, da Fundação Dom Cabral.

Via Portal Brasil

Postagens populares

ONU Brasil

Portal IBRE

Governo de Goiás

São Paulo

Postagens