As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders

As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders
A América do Sul ganhou com a Floresta Amazônica e a Foz do Iguaçú

quinta-feira, outubro 04, 2012

Fieg presta homenagem a personalidades da indústria, com a “Medalha da Ordem do Mérito Industrial”, por relevantes contribuições ao desenvolvimento.


Por Dinalva Heloiza 

Com agenda marcada para ocorrer no espaço do Centro Cultural Paulo Afonso Ferreira - Teatro SESI – em 18 de outubro de 2012, às 20 horas, será realizada a solenidade de entrega da mais elevada condecoração da indústria, a Medalha da Ordem do Mérito Industrial.

A homenagem, concedida pela Fieg a personalidades e instituições, é um reconhecimento do setor produtivo por relevantes serviços prestados ao desenvolvimento socioeconômico do Estado e do País.
Este ano, serão oito condecorados pela Ordem do Mérito Industrial da Fieg, são eles:


1. Antônio de Sousa Almeida – Empresário, possui uma histórica trajetória de lutas junto ao setor produtivo goiano. Hoje ele preside o Conselho Temático de Responsabilidade Social da FIEG, onde em conjunto com toda a diretoria, ele estimula, promove, e busca estabelecer ao setor produtivo em Goiás, uma nova visão relativa aos padrões de administração e produção do setor alinhados com a Responsabilidade Social Empresarial.

Antonio acumula ainda os cargos de terceiro vice-presidente da FIEG; presidente do Conselho Temático de Responsabilidade Social da FIEG, e a presidência do SIGEGO – Sindicato das Indústrias Gráficas em Goiás.  Empresário do setor gráfico em Goiás, a Gráfica Kelps, desenvolve uma linha de serviços voltada principalmente aos talentos da literatura em Goiás. Escritores e Jornalistas, em todo o estado tem seus trabalhos publicados pela Kelps.

2. João Essado, empresário no setor de curtume em Goiás, João Essado, é também Presidente do Sindicato das indústrias de Curtume e correlatos no estado de Goiás, e um dos membros do Conselho de Meio Ambiente da FIEG, o qual tem prestado relevante apoio às indústrias em Goiás no contexto de suas atividades e os impactos ambientais relacionados às mesmas.


3. José Magno Pato, empresário, é também presidente do sindicato das indústrias de Carnes e Derivados no estado de Goiás e Tocantins, e Membro do Conselho Temático de Comércio Exterior da FIEG. Magno Pato possui uma extensa ficha de serviços, lutas e conquistas, que beneficiam o setor produtivo de carnes e derivados no estado.


4. Marduk Duarte - Empreendedor dinamico, é presidente da Confederação Nacional dos Jovens Empresários (CONAJE). Advogado, integra as comissões de Direito Imobiliário e Urbanístico e Direito Empresarial da OAB-GO. Além disso é empresário e industrial goiano. Foi ainda vice-presidente do Conselho Temático Fieg Jovem. Marduk foi presidente da AJE- Associação Jovem Empreendedor em Goiás, por dois mandatos, hoje ele é membro do Conselho Consultivo da entidade.  


5. Orizomar Araújo Siqueira, empresário, Cromart - Ind. e Com. de Trancas para Veículos Automotores;    é também presidente do Conselho Temático de Relações do Trabalho da FIEG. É também presidente do SIMELGO - Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado de Goiás.


6. Pedro Daniel Bittar, empresário, ex- Presidente da ACIEG, Membro do Conselho de Curadores da UFG e 1ª Corte de Conciliação e Arbitragem da ACIEG; Membro do Comitê Estadual de Implementação do Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte . Seplan/Sebrae. É também Membro do Conselho de Administração da AGIR/ Assoc. Goiana de Integralização e Reabilitação (CRER), dentre outros.

                                                       

                                              não encontramos imagens disponibilizadas 


7. Reinaldo Fonseca dos Reis, é economista, foi pioneiro na criação de entidades representativas da categoria em Goiás. Participou ativamente da diretoria do Sindicato dos Economistas do Estado de Goiás, desde a formação da entidade. Foi também nomeado primeiro delegado em Goiás na gestão 1975/1976 do Conselho. Regional de Economia de Brasília – DF, 11ª Região, dentre outros.


8. Robson Braga de Andrade, Presidente da Confederação Nacional da Indústria.

Eleito por unanimidade presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em 12 de maio último, Robson Braga de Andrade foi empossado oficialmente em 29 de outubro passado para comandar a entidade pelos próximos quatro anos, em substituição a Armando Monteiro Neto, que exerceu o cargo por dois mandatos.

Ex-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) por dois mandatos (2002 a 2010), Robson Braga de Andrade, 61 anos, é mineiro de São João Del Rey. Engenheiro mecânico formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), industrial, será o 12º presidente da CNI.

Há 30 anos, Robson Braga de Andrade preside a Orteng Equipamentos e Sistemas Ltda, empresa de ponta sediada em Contagem, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte, que produz equipamentos para os segmentos de energia, petróleo, gás, mineração, siderurgia, saneamento, telecomunicações e transportes.

Antes de ser eleito, era segundo vice-presidente da CNI. Foi presidente dos conselhos temáticos de Meio Ambiente e de Assuntos Legislativos da entidade, diretor do conselho de Empresários da América Latina (2004/2006), membro do Conselho de Estratégia da ABDIB (Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base, 2001/2003).

É membro titular do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República (CDES) e vice-presidente da Confederação Empresarial da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). Coordenou, também na CNI, os trabalhos da Comissão Especial de Mineração, que identificou uma agenda comum dos segmentos da mineração e elaborou propostas de aperfeiçoamento das políticas e do marco regulatório do setor.

Robson Braga de Andrade é especializado em gestão estratégica para dirigentes empresariais pela Fundação Dom Cabral e pelo INSEAD (Instituto Europeu de Administração de Negócios), na França.

História do Prêmio “Ordem do Mérito Industrial”

Criada em 1958 pela CNI para distinguir personalidades e instituições pelos relevantes serviços prestados à indústria e ao País, a Medalha da Ordem do Mérito Industrial foi instituída por inspiração do exemplo de pioneiros do setor produtivo que, com criatividade e visão de futuro, forjaram as bases do moderno parque industrial brasileiro. A exemplo da CNI, a Fieg instituiu, em 1968, seu Mérito Industrial, como reverência do segmento industrial a empresários e personalidades que se destacaram no cenário goiano.

Em Goiás, o Mérito Industrial já foi outorgado a 87 personalidades, dentre elas cinco ex-ministros de Estado e seis ex-governadores, o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, quando completou 100 anos, e a Organização Jaime Câmara, no meio século do Jornal O Popular.

Fonte: FIEG

Créditos das Fotos - Arquivo de Imagens da FIEG/ACIEG/CNI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente essa Postagem

Postagens populares

ONU Brasil

Portal IBRE

Governo de Goiás

São Paulo