As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders

As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders
A América do Sul ganhou com a Floresta Amazônica e a Foz do Iguaçú

terça-feira, março 20, 2012

Notícias


Dinalva Heloiza

Estado de Goiás, se destaca na realização do Fórum para os Estados não sedes do Mundial da Copa de 2014.

                                 Governador Marconi Perillo, na abertura do Fórum. 

O Governo de Goiás, através da Goiás Turismo, Federação Goiana de Futebol (FGF) e Agência Goiana de Esporte e Lazer (AGEL), realizou hoje no auditório Mauro Borges do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia o primeiro encontro dos Estados brasileiros não Sedes dos jogos do Mundial da Copa do Mundo em 2014. Dos 15 governadores convidados à solenidade que foi presidida pelo governador Marconi Perillo, responsável pela realização do evento, estiveram presentes apenas o governador do estado da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB). Dos outros estados todos enviaram representantes exceto o estado do Piauí.

Estavam presentes o representante do Ministério do Esporte, Paulo Sérgio de Castilho, representando o Ministro Aldo Rebelo; o representante do Ministério do Turismo, Laércio Lemos de Souza, representando o Ministro Gastão Dias, o vice-presidente da CBF, Weber Magalhães, e o ex-jogador , Ronaldo Nazário, que é Membro do Conselho de Administração do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014.  

O evento contou com a presença do secretário estadual do Meio Ambiente, Leonardo Vilela; o secretário estadual da Fazenda, Simão Cirineu;  o presidente da Goiás Turismo, Aparecido Sparapani; o presidente da Agência Goiana de Esportes e Lazer (Agel), José Roberto Athayde; e o presidente da Federação Goiana de Futebol, André Pitta. O presidente da Câmara de Vereadores e prefeito de Goiânia em exercício, Iram Saraiva (PMDB) e a deputada federal Magda Mofatto (PTB), também compareceram ao evento.

O governador Marconi Perillo, anunciou durante o Fórum, a composição de uma comissão que irá fazer a interlocução de Goiás com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o Comitê Organizador da Copa. Esta comissão será presidida pelo vice-governador José Eliton, e terá como membros, o secretário da Indústria e Comércio, Alexandre Baldy, e o presidente da Agel, José Roberto Athayde, a comissão irá definir os parâmetros do que deverá ser elaborado para que Goiás receba eventos ligados ao mundial de futebol e aos treinamentos das seleções, além de eleger prioridades e identificar lacunas.

No encontro, o governador Marconi Perillo, anunciou também que pelo menos R$ 100 milhões do Fundo do Centro-Oeste (FCO) serão disponibilizados para as áreas de hotelaria, esporte, turismo e afins. “E se for necessário maiores recursos, iremos buscar, para qualificar o turismo e infraestrutura como, restaurantes e hotéis. Vamos assegurar recursos para recebermos seleções em treinamento e turistas”.

Em relação às rodovias e aeroportos, o governador afirmou que até 2014 eles estarão qualificados para receber o turista. “Vamos nos adequar para que Goiás esteja à altura de merecer a atenção, cada vez maior, da Fifa, CBF e todos os responsáveis pela organização da Copa. Nós vamos fazer direitinho o nosso dever de casa e, com certeza, esse trabalho  não será em vão.”

Governador Marconi Perillo, entrega a Ronaldo, a Carta do Fórum, 

O Fórum que visa viabilizar ações e oportunidades, ao implemento do desenvolvimento às demais localidades durante a competição mundial que acontece em 2014, em capitais brasileiras, deu origem “A Carta do Fórum”, que foi  assinada por todos os representantes dos estados presentes, e entregue ao Membro do Conselho de Administração do Comitê Organizador da Copa do Mundo, Ronaldo Nazário, pelo governador Marconi Perillo.

No documento, os estados não sedes demonstram o interesse em receber eventos ligados à Copa do Mundo de 2014, seleções em treinamento e quadros de arbitragem mundial e  disponibilizam suas infraestrutura e capacidades técnicas a realização do mundial, em uma declaração de apoio aos Estados, e ao Comitê da Copa. 

Durante o Fórum, os Estados tiveram a oportunidade de apresentar as melhorias e infraestrutura de suas cidades, além de debaterem as possibilidades de capacitar os centros de treinamentos para receberem uma das Seleções estrangeiras, e as oportunidades de negócios ligadas ao fluxo de visitantes atraídos pela competição.

Os 15 Estados, não sedes da Copa Do Mundo de Futebol de 2014, são: 
Goiás, Alagoas, Acre, Amapá, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Pará, Paraíba, Piauí, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.
 BENEFÍCIOS
Alguns benefícios em se ter um Centro de Treinamentos das Seleções da Copa do Mundo de 2014.

Aumentar a exposição da cidade no cenário Nacional e Internacional;
Aumentar a movimentação da economia local (emprego e renda);
Impactar os níveis de empregabilidade através da capacitação em serviços;
Possibilidade de aumento no Fluxo de turistas Nacionais e Internacionais;
Oportunidade de aumento de investimentos nacionais e estrangeiros;
Possibilidade de ampliar e melhorar a qualidade dos serviços públicos (energia, saúde, segurança e saneamento);
Construção de um Centro de Treinamento com padrões Internacionais;
Tornar-se referência para as Seleções e Clubes de Futebol (pré temporada de campeonatos, jogos amistosos e etc.);
Possibilidade de cessão do espaço para Federações Esportivas e aproveitamento para desenvolvimento de desportos olímpicos;
Gerar um legado sustentável para a cidade.

O Brasil vai sediar a 20ª edição da Copa do Mundo de Futebol, que acontece de 12 de junho de 2014 a 13 de julho de 2014. Esta será a quinta vez que a América do Sul receberá o mundial, após 36 anos, já que a última edição foi na Argentina, em 1978. 

Discursos

Governador Ricardo Coutinho, da Paraíba.

O governador Ricardo Coutinho, em seu pronunciamento, disse ser necessário abrir um diálogo que possibilite mais envolvimento no que se refere à infraestrutura. Segundo ele, os estados que não vão receber jogos durante a Copa necessitam de investimentos principalmente em relação à mobilidade urbana, infraestrutura e combate à violência, devido ao aumento de turistas.

“A Paraíba está perto de Recife e de Natal, duas cidades que serão sedes da Copa de 2014. Com certeza, nossa capital, João Pessoa, será procurada por várias seleções de futebol e por turistas. E por isso é imprescindível ter uma política de investimentos para estados como o nosso”, comentou.

De acordo com Ricardo, se o Governo Federal não agir em relação a esse assunto, os estados que não são sedes podem correr o risco de viver uma situação caótica, com a falta de infraestrutura. “É preciso pensar, juntamente com governadores e prefeitos, em uma forma mais democratizada. A Copa não é de uma parte do Brasil, mas de todo o país”, disse.

Ronaldo Nazário

Em discurso, Ronaldo, destacou que a Copa do Mundo não é um evento, que favoreça  apenas as 12 cidades que serão sedes, mas um evento para todos brasileiros. Lembrando sua participação em vários mundiais, o ex-jogador reafirmou a importância das cidades não sedes para o evento esportivo. “Das vezes que participei de Copa do Mundo, a seleção brasileira nunca ficou hospedada em cidades, onde iriam acontecer os jogos oficiais.Sempre buscávamos uma cidade mais tranquila, uma cidade que tivesse potencial para receber a seleção em treinamento. Portanto, esse fórum é para lembrar a importância que todas as cidades terão junto a Copa do Mundo.”

Como representante do Conselho de Administração do Comitê Organizador da Copa, Ronaldo enfatizou que o Estado de Goiás está se preparando muito bem e é um fortíssimo candidato para receber uma das 64 seleções e afirmou que a Copa é uma grande oportunidade para todos os estados brasileiros. “Esta é uma grande oportunidade de negócio, uma grande oportunidade de mostrar nossa cultura, nossas cidades, as  belezas, e o orgulho de ser brasileiro. Tenho certeza de que faremos isso de maneira espetacular.”

Ronaldo disse ainda que Goiás tem boas chances no processo de captação de eventos ligados à Copa e de seleções em treinamento. Ele afirmou que, no que diz respeito à estrutura, sempre foi muito bem recebido as vezes em que esteve por aqui,  como jogador de futebol. Ronaldo já entrou em campo no Estádio Serra Dourada pela seleção brasileira e também no Estádio Juscelino Kubitschek, em Itumbiara, como atacante do Corinthians.

Quanto às recomendações da Fifa aos estados não sedes da Copa, Ronaldo enfatizou que uma estrutura adequada é fundamental para atrair seleções. “Os centros de treinamento precisam ter capacidade para receber as seleções com todos os requisitos que a Fifa determina. A rede hoteleira deve estar preparada para receber os turistas e os torcedores que acompanham as seleções.

Sobre o desafio de organizar um mundial, o ex-jogador comentou que sempre soube quão difícil seria o trabalho. “Eu quero realmente ser importante e transmitir coisas boas para o nosso povo. Não está sendo fácil, mas, quando aceitei o convite desse projeto maravilhoso, tinha a consciência de que era a chance de mostrar ao povo brasileiro todo o nosso talento. Por isso, aceitei esse desafio. É um trabalho voluntário, já que abri mão da remuneração oferecida pelo Comitê.”

Ronaldo, garante não ter dúvida de que o futebol brasileiro será outro depois da Copa do Mundo. “Esse evento traz um grande investimento ao País. O futebol será outro depois da Copa do Mundo, falando não só dos estádios. O comportamento cultural vai mudar depois deste grande evento. Dificilmente você vai ver jogadores quebrando seu patrimônio. Temos que aproveitar este investimento para fazer de nosso País um País melhor”, concluiu.

Aparecido Sparapani, Presidente da Goiás Turismo.

De acordo com o presidente da Goiás Turismo, Aparecido Sparapani (foto), desde o ano passado Goiás vem realizando um grande trabalho no sentido de ter as cidades goianas como potenciais centros de treinamento durante a Copa. “É uma sequência de trabalho que, com certeza, teremos resultados. Temos o apoio do governador Marconi Perillo, das redes hoteleiras, e dos centros de treinamento”. Ele ainda explica que através de parceria com a Secretaria de Ciência e Tecnologia, em maio próximo vão começar cursos de inglês e espanhol para a capacitação dos trabalhadores goianos.

Até o final da tarde os representantes dos Estados irão apresentar o que têm feito em melhorias na infraestrutura de suas cidades, além de debater as possibilidades de capacitar os centros de treinamentos. Haverá ainda palestras durante todo o dia e à tarde terá um momento de homenagens a ex-jogadores que fizeram história no Estado de Goiás. “Queremos também fazer parte dessa festa. Queremos que seja a melhor Copa do Mundo de todos os tempos”, diz Sparapani.
José Roberto de Athayde - Presidente da Agel




Para o presidente da Agel, José Roberto de Athayde, Goiás tem mostrado interesse em  hospedar alguma seleção.  “É interesse de todo o governo oferecer aos hóspedes o turismo de Goiás. Sem nos esquecermos que o Estado tem localização privilegiada por estarmos a uma hora de quase todos os demais campos, onde acontecerão os jogos da Copa”.
Weber Magalhães – Vice Presidente da CBF
O vice-presidente da CBF, Weber Magalhães (foto), afirmou  que um Fórum como este é de extrema importância, pois dá a possibilidade às cidades que não são sedes, para que  possam estar inseridas no contexto da Copa. Ele ainda lembrou que “Goiás e a região Centro-Oeste são fartas em condições de receber grandes eventos”, afirmou.

Pecos Borsatti – Presidente da Fundação Catarinenese de Esporte
O presidente da Fundação Catarinense de Esporte, Pecos Borsatti, que esteve no Fórum representando o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, disse que para ele, este é um evento inédito. “Os que não foram contemplados estão reunidos. Uma Copa do Mundo é uma grande oportunidade de negócios e Santa Catarina está entre Rio Grande do Sul e Paraná que vão ser sedes. O Estado está se mobilizando”. Ele ainda parabeniza o Governo de Goiás pela ação. “É uma boa iniciativa do Governo de Goiás, quero transmitir os parabéns, e vamos ver se aprendemos mais um pouco aqui hoje para levamos mais ideias para Santa Catarina”.

Thais Horrana - Estudante
Três estudantes do curso de Educação Física de uma faculdade de Goiânia também estiveram presentes no evento. De acordo com a jovem, Thaís Horrana, de 19 anos, o Fórum é uma oportunidade de conhecer melhor as oportunidades que podem vir para Goiás em 2014, durante a Copa. “Estamos aqui para aprender mais e vai contribuir para o nosso curso de Educação Física”, conclui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente essa Postagem

Postagens populares

ONU Brasil

Portal IBRE

Governo de Goiás

São Paulo

Postagens