As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders

As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders
A América do Sul ganhou com a Floresta Amazônica e a Foz do Iguaçú

domingo, junho 04, 2017

05 de Junho Celebramos o Dia Mundial do Meio Ambiente, com o tema “Conectando as pessoas à natureza” #EstoucomaNatureza, a ONU Meio Ambiente promove uma série de eventos em todo o Brasil e no Mundo em celebração a semana do meio ambiente.


Dinalva Heloiza de Oliveira

Uma de minhas identidades, bem resguardadas de minha infância, está intimamente gravada em meu ser, como uma aquarela de sons e cores, que se formou a partir de minha convivência, ainda criança com a natureza. Aqueles momentos, sem dúvida, foram os mais importantes de minha formação. Lembro-me da emoção que me perpassava, ao me encontrar diante do fluxo claro e límpido da nascente de um riacho, que corria, após o imenso pomar que havia na fazenda de meus avós.


O barulho contínuo da água seguindo seu curso, por entre as pedras forradas de húmus, o canto alegre da passarada, o vento suave e perfumado de aromas, que agitava as arvores, seus galhos e folhas, configurando um bailado sincronizado, acompanhados em uma escala menor, pelos pequenos arbustos, que circundavam aquelas árvores, como alegres crianças que dão as mãos as suas mães, ao dançar uma ciranda.  

O sol, e seus raios multicores a iluminar e aquecer a pequena relva, que ainda úmida pelo orvalho da manhã, aparava as gotículas como que pintadas por minúsculos arco íris, e ali eu me sentava, sozinha, recostada em seu acostamento, e me via invadida por uma emoção singular, a qual me banhava de vibração, era ali, o meu lugar favorito. Eu me encantava com a energia que emanava daquele pequeno paraíso, em minha pureza, era como se as fadas vivessem por ali.

Enquanto eu olhava em silêncio, o contínuo ciclo da água ao mesmo tempo distinguia cores e sons. Era um silêncio majestoso, mas repleto de sons da natureza, e que me fazia perceber uma presença cósmica, banhada de vida, a qual, somente é possível nos contemplar, em leveza, quando o conjunto de forças emanadas da natureza , estão em seu habitat puro, saudável e preservado.  
  
Foi ainda criança, principalmente entre o período dos 7 aos 10 anos de idade, que desenvolvi um amor profundo pela natureza, amor este, que carreguei por toda a minha vida, e ainda hoje, lembro - me destes momentos com emoção e muita gratidão.

Quando nos prolongamos tempo demais em cidades, a natureza com a qual somos contemplados, e que ainda se apresenta, geralmente é moldada em algo decorativo. Nas cidades as gramas são aparadas e, as árvores normalmente enjauladas em plantadores, e aquelas que insistem em buscar a sua natureza mais livre são podadas de forma brusca e traiçoeira.

Os parques da cidade são um refúgio, mas, à medida que o trabalho assume a vida de todos nós, parece haver cada vez menos oportunidades e momentos, disponíveis em aproveitarmos este universo tão necessário ao nosso equilíbrio e desenvolvimento, e ainda presente em “terra brasilis”, a exuberância da natureza.

A própria concepção da vida civilizada são moldes de nossos princípios e valores naturais, em prevalência dos ditosos, “valores” falidos, que infelizmente ainda regem um conjunto de sociedades e governos incultos. Em a “Insustentável Leveza do Ser” Milan Kundera, espelha: “Um belo dia, sem saber muito bem como, toma-se uma decisão, e depois essa decisão ganha a sua inércia própria. Cada ano que passa é um bocadinho mais difícil mudá-la.”

E assim é a civilização versus natureza, repleta de interesses econômicos e armadilhas, entre o que lhe é natural, e o que lhe é imposto.

É neste território de humanos em civilização, cada um de per si, que temos a grande oportunidade de modificarmos nossa atual postura e falidos valores. Encontramo-nos, em um momento único e sem precedentes na história da humanidade, onde as opções surgem nos convidando a realizar uma radical inversão de valores, e estes pululam a nossa frente, nos invitando às novas ações, a vida é transitória, mas pela simples razão de que ainda não desvendamos os mistérios que envolvem a morte, e tenho certeza, que esta é a grande chave, para descortinarmos uma nova realidade que a vida nos reserva, a cada um de nós, pequenos seres humanos, desprovidos de natureza.

E as sociedades que abraçarem uma nova consciência global e humana, em promover a natureza em ciência racional, se elevará ao amparo de uma vida eterna, em princípios e valores, respaldada por um novo desenvolvimento.   

É nossa individualidade natural, enquanto humanos, que nos assegura o Ser Racional, em sociedade.

Segundo estudo datado de 2016, pela ONU Habitat, mais da metade das pessoas em todo o planeta, vivem em áreas urbanas, e a contínua urbanização fomenta o distanciamento do ser humano e a natureza. Mas da mesma forma, que por vários motivos nos distanciamos da natureza, preservá-la e protegê-la, torna-se sem dúvida, um compromisso a ser estabelecido enquanto cidadãs e cidadãos que somos.

As armadilhas que reservam as cidades, e que por tantas vezes somos atraídos, ao final, se apresenta como o resultado de nossa alienação em seres humanos, nos restando um emaranhado de construções, rios poluídos, excesso de lixo, consumo desmedido, estresses, tecnologias, horários, nossas faltas com o tempo e o tempo que se afasta, é onde muitos de nós perdemos a fina sintonia com a vida, o contato com esta sinergia que provém da natureza e todo o conjunto de ecossistemas, com que somos contemplados em vida.

O trabalho é árduo, mas com toda certeza repleto de condecorações, aos que se encararem e buscarem uma nova consciência, evidentemente, dispostos às boas e necessárias mudanças.  

Em 05 de Junho, celebramos o Dia Mundial do Meio Ambiente de 2017, e a ONU Meio Ambiente, lança a Campanha do Dia, com o Tema - "Conectando as pessoas à natureza".
  
Release da Campanha da ONU Meio Ambiente em todo o Brasil e no Mundo.

 A Campanha visa impulsionar estilo de vida sustentável, destacando os grandes benefícios de um ambiente preservado, que vão desde a segurança alimentar, a melhoria da saúde, o abastecimento de água e estabilidade climática, que os sistemas naturais e os ambientes limpos fornecem à humanidade. Também nos encoraja a sair ao ar livre e apreciar esses benefícios em primeira mão, incluindo a beleza e a diversidade do mundo natural que nos envolve e nos sustenta.

No Dia do Meio Ambiente, a Campanha realiza mais de mil atividades em todo o mundo. E no Brasil, haverá a Meia Maratona das Cataratas, o Simpósio ‘Ecos da Rio 92’ no Museu do Amanhã, o lançamento nacional da Campanha #MaresLimpos, no AquaRio, entre outros eventos.

Com o slogan “#EstouComaNatureza”, a ideia central é impulsionar os esforços para a conservação do meio ambiente, transformando ações individuais em uma força coletiva que tenha um verdadeiro e duradouro legado de impacto positivo para o planeta.

De Mumbai à Cidade do México, a população comemora a data de incontáveis maneiras, com ações que vão desde limpeza de praias e plantações de árvores até petições e concursos de fotografia, com milhares de crianças sendo envolvidas por meio de suas escolas. No Brasil, como principal autoridade global em meio ambiente e responsável pelo mandato e tema deste dia, a ONU Meio Ambiente está planejou uma série de ações entre os dias 4 e 11 de junho com uma semana especial de atividades.

No domingo (4), mais de 4,5 mil atletas se reúnem no Parque Nacional do Iguaçu para correr pela natureza na Meia Maratona das Cataratas, prova que dará início à Semana Mundial do Meio Ambiente no Brasil, e que vem para alertar sobre importância da criação de áreas protegidas no país e estimular o sentimento de pertencimento dos parques pelos cidadãos brasileiros, incluindo a ampliação de visitação aos Parques Nacionais como estratégia de conservação.

Na segunda-feira (5), em parceria com a Embaixada do Canadá e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), será lançado o Concurso de Fotografia #EstouComANatureza, que premiará o vencedor com uma viagem para Brasília e um passeio em seus parques nacionais.

Em parceria com o Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio) e em apoio à Conferência dos Oceanos, entre os dias 5 e 11 de junho, serão distribuídos folhetos informativos sobre preservação dos oceanos e a Campanha #MaresLimpos para os visitantes do AquaRio, que também contarão com uma ação surpresa no dia 8 de junho, Dia Mundial dos Oceanos.

Na terça-feira (6), o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, recebe o simpósio “Ecos da Rio-92: 25 anos depois”, que contará com Denise Hamú, representante da ONU Meio Ambiente para a fala de abertura.

Cristo Redentor, Museu do Amanhã, Ponte Estaiada, Viaduto do Chá, Prefeitura de São Paulo, entre outros importantes monumentos brasileiros serão iluminados em verde durante a semana para celebração da data.

Em parceria com o Ministério de Educação, a ONU Meio Ambiente distribuirá para 150 mil escolas um guia digital de planos de aula sobre a importância da conexão da natureza para sua preservação.

São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro poderão curtir em cinemas Cinemark o vídeo especial da ONU para o Dia Mundial do Meio Ambiente, convidando todos a montarem o maior álbum de fotografia da natureza, na história.

Na quarta-feira (7), o AquaRio, no Rio de Janeiro, recebe o lançamento da Campanha #MaresLimpos. Além da presença da representante para o Meio Ambiente no Brasil, Denise Hamú, a ação tem o apoio da dupla de velejadoras Martine Grael e Kahena Kunzi. Nas redes sociais, a apresentadora Bela Gil participa promovendo o engajamento em torno da campanha.

A ONU Meio Ambiente também apoiará a Virada Sustentável, no Rio de Janeiro, e fará a abertura do evento na sexta-feira (9), no Museu de Arte do Rio.

O primeiro passo para proteger e preservar a natureza, é sem dúvida, nos conectarmos com ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente essa Postagem

Postagens populares

ONU Brasil

Portal IBRE

Governo de Goiás

São Paulo