As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders

As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders
A América do Sul ganhou com a Floresta Amazônica e a Foz do Iguaçú

domingo, junho 04, 2017

05 de Junho Celebramos o Dia Mundial do Meio Ambiente, com o tema “Conectando as pessoas à natureza” #EstoucomaNatureza, a ONU Meio Ambiente promove uma série de eventos em todo o Brasil e no Mundo em celebração a semana do meio ambiente.


Dinalva Heloiza de Oliveira

Uma de minhas identidades, bem resguardadas de minha infância, está intimamente gravada em meu ser, como uma aquarela de sons e cores, que se formou a partir de minha convivência, ainda criança com a natureza. Aqueles momentos, sem dúvida, foram os mais importantes de minha formação. Lembro-me da emoção que me perpassava, ao me encontrar diante do fluxo claro e límpido da nascente de um riacho, que corria, após o imenso pomar que havia na fazenda de meus avós.


O barulho contínuo da água seguindo seu curso, por entre as pedras forradas de húmus, o canto alegre da passarada, o vento suave e perfumado de aromas, que agitava as arvores, seus galhos e folhas, configurando um bailado sincronizado, acompanhados em uma escala menor, pelos pequenos arbustos, que circundavam aquelas árvores, como alegres crianças que dão as mãos as suas mães, ao dançar uma ciranda.  

sexta-feira, maio 19, 2017

Em 21 de Maio de 2017, celebramos o “Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento”, proclamado pela UNESCO na Declaração Universal sobre Diversidade Cultural, um reconhecimento à necessidade de potencializar a cultura como meio de alcançar prosperidade, o desenvolvimento sustentável, e a coexistência pacífica global

Dinalva Heloiza

Realizada anualmente em 21 de Maio, a Jornada Mundial pela Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento, celebra não só a riqueza das culturas mundiais, mas também o papel essencial do diálogo intercultural para alcançar a paz e o desenvolvimento sustentável. A Assembleia Geral das Nações Unidas, declarou pela primeira vez este Dia Mundial em 2002, após a aprovação pela UNESCO da Declaração Universal sobre Diversidade Cultural de 2001 , reconhecendo a necessidade de "potencializar a cultura como meio de alcançar prosperidade, desenvolvimento sustentável e coexistência pacífica global".


Com adoção em setembro de 2015, a Agenda 2030 ou Agenda para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, e a Resolução A/C.2/70/L.59, sobre Cultura e Desenvolvimento Sustentável, adotada pela Assembleia Geral da ONU em dezembro de 2015 , faz com que a mensagem dirigida ao Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento, seja mais importante do que nunca.

terça-feira, maio 16, 2017

O Coletivo Cabeça de Elefante, criado por Kika Oliveira, vem protagonizando o Teatro Infantil em Brasília, na seara da aprendizagem!

A criança é a ação e o pensamento da arte, porque canta com o corpo, desenha com o corpo, sorri ou chora com todo o corpo. Vive intensamente, arrisca-se, pois está atenta e aberta às experiências e ao mundo, sem medo. Toda arte é expressão, seja qual for à linguagem: seja ela a música, a dança, a pintura, a escultura, o cinema ou o teatro. “A Criança Descobrindo, Interpretando e Agindo sobre o Mundo” - edições UNESCO.

Neste contexto, tem muita gente boa trabalhando e propondo às crianças um amplo cenário em expressões. Um destes grupos - o Coletivo Cabeça de Elefante -  Grupo de Teatro Infantil, fundado em Brasília, em 2016, tem como protagonista uma amiga querida, atuante e sensível, Caliane Souza de Oliveira, ou Kika, como gosta de ser chamada.

Kika, 26 anos é escorpiana, detentora de um amplo currículo voltado às artes. Professora de Teatro e Arte Educadora, além destas atividades, integra também, as de produtora cultural e relações institucionais, também em Brasília, DF.

Kika Oliveira, Professora de Teatro e Arte Educadora

Em uma recém conversa, ela nos relata, que iniciou suas vivências teatrais ainda aos seis anos de idade, e posteriormente foi conduzida pelos mestres, José Wrigell e Pedro Macarsi.

sábado, maio 06, 2017

A UNESCO reconhece oito sítios geológicos, à categoria de Geoparques Globais da UNESCO, os novos sítios, estão localizados na Ásia, Europa e América Latina.

Dinalva Heloiza

Os Geoparques Globais da UNESCO são áreas geográficas únicas e unificadas em que os locais e paisagens de importância geológica internacional são geridos com um conceito holístico de proteção, educação e desenvolvimento sustentável. A abordagem ascendente que consiste em combinar a conservação com o desenvolvimento sustentável e envolver as comunidades locais está a tornar-se cada vez mais popular, a organização disponibiliza uma página da web de cada Geoparque Global da UNESCO, com informações detalhadas sobre cada sítio.

                                     Arxan, China - Geoparque Global da UNESCO

quarta-feira, março 29, 2017

Populistas e Autocratas: A dupla ameaça à democracia global!

Dinalva Heloiza - Com informações da Freedom House

Uma vez li em um livro o seguinte pensamento: “A corrupção é o maior flagelo de toda e qualquer sociedade. Só e somente a corrupção, é responsável pelas guerras, pela miséria, pela fome, pela degradação humana, pelas crises econômicas, pela devastação ambiental, pela desigualdade social e por toda injustiça que paira sobre as sociedades que insistem em manter em suas esferas públicas, a sanha dos corruptos.”


“Em 2016, forças políticas populistas e nacionalistas obtiveram ganhos surpreendentes em estados democráticos, enquanto os poderes autoritários envolvidos descaradamente em atos de agressão e graves atrocidades, subiram ao poder em zonas de guerra em dois continentes” Essa é a conclusão atual do mundo, de acordo com o estudo “Liberdade no Mundo 2017”, o relatório anual apresentado pela Freedom House sobre direitos políticos e liberdades civis.

Freedom House - “O declínio da liberdade continua em meio ao crescente populismo e autocracia”.


                          


O relatório aponta que 2016, marca o 11º ano consecutivo em que o declínio nas liberdades persiste em cenário global.

quarta-feira, março 15, 2017

O Blog Brasil EcoNews, apresenta aqui uma entrevista com Adriana Quiñones, atual assessora regional da ONU Mulheres, que fala sobre as iniciativas regionais da entidade para por fim ao feminicídio.

A América Latina está vivendo uma onda poderosa de protestos contra inúmeros homicídios relacionados ao gênero. À medida que, mulheres e homens exigem o Fim dessa violência, através da Campanha #NiUnaMas (não mais mulheres serão mortas), Adriana Quiñones, atual assessora regional da ONU Mulheres, anteriormente Conselheira Regional pelo Fim da violência contra as mulheres na América Latina e no Caribe. fala sobre as iniciativas regionais para prevenir o feminicídio. 

                                   Adriana Quiñones, assessora regional da ONU Mulheres

 O feminicídio está acontecendo na região mais do que em outras partes do mundo?

terça-feira, março 07, 2017

As “Feridas Invisíveis”, dos Esquecidos!

Dinalva Heloiza


Às vésperas do sexto aniversário da guerra civil na Síria, a Save the Children, lança um relatório impactante intitulado, “Feridas Invisíveis”, onde a Organização Internacional faz um profundo alerta ao trágico perfil da situação do país e principalmente de suas crianças.

terça-feira, fevereiro 28, 2017

O brasileiro Roberto Azevêdo conquista o segundo mandato como Diretor Geral da OMC - Organização Mundial do Comércio, assumindo em início de setembro.

 Dinalva Heloiza
  
Em reunião do Conselho Geral da Organização Mundial do Comércio, que aconteceu hoje 28 de fevereiro, os membros da OMC acordaram, por consenso, nomear o brasileiro Roberto Azevêdo para um segundo mandato de quatro anos como Diretor Geral da Organização.


O segundo mandato do diretor geral, que tem início em 1 de Setembro de 2017, antes da reunião, ele apresentou sua visão para o futuro da organização e os desafios que terão pela frente, além de responder a várias perguntas dos membros sobre as  questões que serão enfrentadas pela  organização.

O diretor geral confirmou também a sua disponibilidade para desempenhar um segundo mandato, em uma carta enviada aos membros da OMC, ainda em 3 de Novembro de 2016, no início do processo de seleção. Ele foi o único candidato indicado para o cargo, até o encerramento do processo que aconteceu em 31 de dezembro de 2016.

terça-feira, fevereiro 21, 2017

A Anistia Internacional lançou ontem um novo Relatório - “O Estado dos Direitos Humanos no Mundo” 2016/2017, onde aponta a situação dos direitos humanos em 159 países, incluindo o Brasil.


Dinalva Heloiza

“O fato de estarmos vendo a eclosão de tantas novas crises sem que nenhuma das anteriores tenha sido resolvida mostra uma clara falta de capacidade e de vontade política para acabar com os conflitos, menos ainda para preveni-los. O resultado é a proliferação alarmante de incertezas e impunidade.” António Guterres, Secretário Geral das Nações Unidas.

“Líderes passam a demonizar determinados grupos, como migrantes, negros, mulheres, população LGBT [lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e transgêneros], como se fossem a origem do problema que estas sociedades estão vivendo. Essa tática de demonização não é mais do que uma cortina de fumaça que tenta esconder a incapacidade desses dirigentes diante de suas obrigações em proteger a vida e o direito das pessoas”, diretora executiva da Anistia Internacional no Brasil, Jurema Werneck.

                                                             Jurema Werneck

"Embora o informe trate dos temas mencionados e de muitos outros, suas páginas não conseguem carregar a profundidade da tragédia que as crises de 2015 imprimiram em cada ser humano – sobretudo a crise dos refugiados, agora agravada pelo inverno no hemisfério Norte. Em situações como essa, proteger e fortalecer os sistemas de proteção civil e de direitos humanos não pode ser considerado uma opção. É literalmente uma questão de vida ou morte.” Salil Shetty, Secretário-Geral da Anistia Internacional.


               Apresentação do Relatório por Salil Shetty - Secretário Geral da Anistia Internacional

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Procuradores de 15 Países devem agir rapidamente para levar os corruptos à Justiça no escândalo da Lava Jato.

Dinalva Heloiza

A Transparency International solicita que os promotores criem uma força-tarefa regional para coordenar investigações.

Comunicado emitido pela Secretaria da Transparência Internacional
.

A Transparência Internacional e seus escritórios na América Latina pedem aos promotores dos 15 países envolvidos no escândalo de corrupção da Lava Jato, reunidos no Brasil nesta semana, para tomar medidas firmes para levar os culpados à justiça.

O escândalo da Lava Jato envolve uma rede de mais de vinte corporações, incluindo  a gigante construtora Odebrecht, que subornou funcionários públicos para conquistar contratos na América Latina, em Angola e em Moçambique.

A reunião em Brasília, convocada pelo Ministério Público do Brasil, surge na sequência de um acordo de US $ 3,5 bilhões entre os procuradores dos EUA, Brasil e Suíça e a Odebrecht.

"A reunião de Brasília apresenta uma tremenda oportunidade para enfrentar a grande corrupção de uma forma significativa e global. Os promotores devem aproveitar esta oportunidade para compartilhar experiências, estratégias e informações para melhorar seu trabalho. Em cada país, as pessoas estão exigindo o mesmo tipo de resultados que os promotores no Brasil estão conquistando", disse José Ugaz, presidente da Transparência Internacional.

"Os promotores devem explorar a criação de uma força-tarefa investigativa conjunta em escala global, focada em esquemas offshore e lavagem de dinheiro. Uma investigação mais eficiente e coordenada é fundamental para desmantelar os sistemas corruptos que perpetuam a pobreza e a desigualdade na América Latina e na África", disse Ugaz.


Os escritórios da Transparência Internacional nas Américas estão formulando cinco recomendações principais:

Postagens populares

ONU Brasil

Portal IBRE

Governo de Goiás

São Paulo