As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders

As 7 Maravilhas da Natureza eleitas pela New7Wonders
A América do Sul ganhou com a Floresta Amazônica e a Foz do Iguaçú

segunda-feira, setembro 18, 2017

Em 2018, acontece o maior evento global sobre a Água, o 8º Fórum Mundial da Água, que será sediado pelo Brasil, em Brasília - coincidindo com o Dia Internacional da Água, promulgado pelas Nações Unidas.

Dinalva Heloiza

Em um momento onde o mundo e em especial o Brasil, vive uma grande crise hídrica, organizações internacionais vinculadas as Nações Unidas e diversos setores da sociedade civil,  realizam o maior evento global sobre a água, o 8º Fórum Mundial da Água, organizado pelo Conselho Mundial da Água.

O Conselho é uma organização internacional que reúne todos os especialista no tema e cuja missão, é “promover a conscientização, construir compromissos políticos e provocar ações em temas críticos relacionados à água para facilitar a sua conservação, proteção, desenvolvimento, planejamento, gestão e uso eficiente, em todas as dimensões, com base na sustentabilidade ambiental, em benefício à toda a vida na terra".

sexta-feira, setembro 15, 2017

Mensagem de Irina Bokova, Diretora Geral da UNESCO - Em celebração ao Dia Internacional da Democracia!

Dinalva Heloiza - Com informações da ONU/UNESCO

Realçando a contínua necessidade de promover a democratização, o desenvolvimento e o respeito pelos direitos humanos e as liberdades fundamentais, a Assembleia Geral acordou em novembro de 2007, que se comemore a 15 de Setembro de cada ano, o Dia Internacional da Democracia.

Ao adotar por consenso a resolução sobre esta questão, a Assembleia Geral reiterou que “embora as democracias partilhem traços comuns, não há um modelo único de democracia e a democracia não pertence a nenhum país ou região.”

A Assembleia reafirmou ainda que a democracia é “um valor universal baseado na vontade, expressa livremente pelo povo, em determinar o seu próprio sistema político, econômico, social e cultural, bem como na sua plena participação em todos os aspectos da vida.

A Assembleia convidou também todos os Estados-membros, as organizações do sistema da ONU, as organizações regionais e intergovernamentais, as organizações não-governamentais (ONG) e os indivíduos a comemorarem o Dia “de uma maneira apropriada que contribua para a sensibilização do público.”

Em 2017, celebramos o 29º aniversário da primeira Conferencia Internacional sobre Democracias Novas ou Restabelecidas, o que proporciona uma oportunidade especial para dar atenção à promoção e consolidação da democracia em todos os níveis.

Falar em democracia neste momento, no Brasil, pode até ser considerado uma utopia,  mas hoje celebramos o Dia Internacional da Democracia, e tenho expectativas de que em algum momento da história de nosso país, ainda possamos vivenciar plenamente, nós e toda sociedade democrática em cenário global, uma democracia plena!


Mensagem de Miss Irina Bokova, Diretora Geral da UNESCO - Em celebração ao Dia Internacional da Democracia!

“A UNESCO foi criada em 1945 com um objetivo claro e distinto.”
“Nas palavras da nossa Constituição:”

A grande e terrível guerra, que acabou de encerrar foi uma guerra que só se tornou possível pela negação dos princípios democráticos da dignidade, da igualdade e do respeito mútuo dos homens, e pela propagação, em seu lugar, através da ignorância e do preconceito, da doutrina da desigualdade entre os homens e raças. "

“Em novos tempos, em outro século, essa ideia ainda soa verdadeira.”

“A mudança está correndo em todo o mundo, transformando sociedades em todos os lugares. Isto está abrindo novas e vastas oportunidades para que mulheres e homens realizem seus direitos humanos, se tornem cidadãos capacitados e atinjam suas aspirações, em  empregos dignos, participação plena na sociedade, promovendo o diálogo e fortalecendo as bases que alicerçam a paz.”

“Com isso, novos desafios também chegam.  Os desafios da pobreza duradoura e o aprofundamento das desigualdades. Os desafios dos conflitos e da violência, incluindo o terrorismo e o extremismo violento. Os desafios dos direitos negados e as vozes silenciadas através de instituições fracas, o aumento do populismo e o domínio exclusivo."

“Neste contexto, a democracia é um mapa e uma configuração de bússola. É o caminho e a direção para se avançar.”

“Esta mensagem é o coração da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável . O Objetivo 16 do Desenvolvimento Sustentável que convida todos os Estados a " promover sociedades pacíficas e inclusivas junto ao desenvolvimento sustentável, proporcionando acesso à justiça para todos e criando instituições efetivas, responsáveis ​​e inclusivas em todos os níveis. "

“O desenvolvimento não será sustentável se não for inclusivo. A paz não será duradoura se não for para todos. É por isso que a Agenda 2030 promete não deixar ninguém para trás. A democracia é sobre instituições eficazes e responsáveis, o estado de direito e a boa governança - é também uma cultura, uma maneira de pensar, ser e agir, com os outros, e em  sociedade. Isso deve ser ensinado e compartilhado, expresso e compartilhado em todas as linhas de fronteira, dentro e entre todas as sociedades, principiando com mulheres, homens individualmente - especialmente os que estão em maior risco, incluindo refugiados e migrantes.”

“Todos devem ser representados, especialmente os mais marginalizados.”

“Toda voz deve ser ouvida, especialmente aquelas mais silenciosas.”

“Toda ação deve ser responsável pelo benefício de todos, em espírito de diálogo e respeito.”

“Construir um futuro melhor, deve ter início hoje, com a defesa dos direitos e da dignidade de todos. Esta é a mensagem da UNESCO neste Dia Internacional da Democracia.”


Miss Irina Bokova, diretora geral da UNESCO- Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

sexta-feira, setembro 08, 2017

Em celebração ao Dia Internacional de Alfabetização, que acontece hoje, 8 de Setembro, a UNESCO, realiza a Conferência Internacional sobre "Alfabetização em um Mundo Digital" e a Cerimônia de Premiação do Prêmio Internacional de Alfabetização da UNESCO, em 2017.

 Dinalva Heloiza



Mensagem de Miss Irina Bokova, Diretora Geral da UNESCO, sobre o dia
  
Este ano, o Dia Internacional da Alfabetização (8 de setembro) será celebrado em todo o mundo sob o tema "Alfabetização em um mundo digital". nesta data será realizada uma Conferencia Global, organizado na sede da UNESCO em Paris, com o objetivo de analisar o tipo de habilidades de alfabetização que as pessoas precisam para navegar em sociedades cada vez mais mediadas digitalmente e explorar políticas e programas efetivos de alfabetização que possam influenciar as oportunidades que o mundo digital oferece.

quinta-feira, setembro 07, 2017

Declaração Universal da Laicidade no Século XXI*

OLE-Observatório da Laicidade do Estado


Preâmbulo 

Considerando a crescente diversidade religiosa e moral no seio das sociedades atuais e os desafios encontrados pelos Estados modernos para favorecer a convivência harmoniosa; considerando também a necessidade de respeitar a pluralidade das convicções religiosa, atéias, agnósticas, filosóficas e a obrigação de favorecer, por diversos meios, a decisão democrática pacífica; e, finalmente, considerando a crescente sensibilidade dos indivíduos e dos povos com relação às liberdades e aos direitos fundamentais, incentivando os Estados a buscarem o equilíbrio entre os princípios essenciais que favorecem o respeito pela diversidade e a integração de todos os cidadãos com a esfera pública, nós, universitários, acadêmicos e cidadãos de diferentes países, propomos a reflexão de cada um e o debate público, sobre a seguinte declaração:

Princípios fundamentais

sexta-feira, setembro 01, 2017

“Elas Fazem Cinema”, um projeto do GECI- dirigido pela mestra em História da UFG, Alcilene Cavalcante, destaca o protagonismo da mulher na sétima arte, e sua invisibilidade, diante um cenário em desigualdade de gênero.

Dinalva Heloiza

Destacar o protagonismo feminino nas telas do cinema nacional, com certeza não é uma tarefa fácil, mas quando essa narrativa envolve a discussão sobre igualdade de gênero, tendo as mulheres em papel de destaque, aí então, os desafios são bem maiores.

Da esq. para a direita, Superintendente Executiva da Mulher e Igualdade Racial, Glaucia Maria Teodoro, mestra Alcilene Cavalcante da UFG, eu, a diretora Tereza Trautman, professora da UEG e Tânia Castro, na abertura oficial da Mostra. (Fotos - Maria Ritha Ferreira da Paixão)
  

quinta-feira, agosto 31, 2017

De volta às notícias: O Jornalismo ético.

Os valores éticos do jornalismo são fundamentais e mais importantes do que nunca, já que em plena era digital, lutamos por qualidade e democracia na mídia. Embora novas leis possam levar a uma potencial censura, o compromisso com a ética é essencial para construir a confiança pública. 

"Os gigantes tecnológicos que dominam o espaço de informação pública, como Google, Facebook, Amazon e Twitter, circulam informações em um ambiente onde a ética não tem valor", diz Aidan White.


Por *Aidan White. 

Este artigo faz parte do repositório Courier Unesco.    

  

O jornalismo na era digital alcançou um movimento sem precedentes na história da humanidade. Hoje o mercado de notícias é mais rápido, mais pressurizado e infinitamente mais complexo. A mídia aprendeu da forma mais difícil, como a revolução da informação - e suas qualidades libertadoras - se transformou em uma espada de dois gumes.

segunda-feira, agosto 14, 2017

OMS - Organização Mundial de Saúde, através da Organização Pan-Americana da Saúde - OPAS nas Américas, lança iniciativas em defesa à saúde materno-infantil.

Com informações de Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

A Organização Pan-Americana da Saúde, OPAS, promove uma série de intervenções com o objetivo de reduzir o número de crianças que nascem com hiv, sífilis, mal de chagas e hepatite b. Esta é uma iniciativa determinante que visa a redução do número de casos com transmissão vertical, aquela que ocorre transmitida de mães para bebês, lançada pela OPAS, em 11 de agosto de 2017.

Segundo a agência da ONU, todos os anos, 2,1 mil crianças nascem ou contraem o hiv  de suas mães na América Latina e no Caribe. Já o número de bebês infectados com sífilis é 10 vezes maior. O marco para eliminação da transmissão materno-infantil, Emti-Plus, pretende combater o problema.

                                                           Foto: Banco Mundial

terça-feira, agosto 08, 2017

Por que uma Conferência Mundial de Humanidades?

E como projetar um novo modelo à sociedade, fundado precisamente no conceito de humanidade? 

Adama SAMASSEKOU nos responde, ele é o mentor e presidente de uma das mais importantes conferências deste século, a Conferência Mundial de Humanidades, que acontece na Bélgica, em Liège, Uma parceria da UNESCO com o CIPSH, a cidade também reconhecida como "Cidade Ardente", tanto em espírito quanto em desenvolvimento, é multicultural, e se localiza no coração da Europa, onde ocorre este que é um evento sem precedentes na história da humanidade, sob o alto patrocínio do Rei da Bélgica, a WCH - Conferencia Mundial de Humanidades.



 
Diante o fracasso do atual modelo em desenvolvimento, onde prevalecem valores em cultura do ter, em detrimento dos princípios da cultura do Ser, é imperativo que se estabeleça um novo paradigma às sociedades de todo o mundo, e que este novo modelo, tenha em suas bases, a humanidade e seus princípios mais valorosos, um modelo que priorize as relações humanas, em única saída possível aos indivíduos e sociedades, diante o desencanto que se estabeleceu.

Humanitude - são as nossas relações humanas para com outros humanos é também, o nosso exercício permanente em sermos humanos, nossas relações em humanitude, o que exige uma relação permanente de solidariedade - livre do cálculo - um impulso espontâneo em acolher o outro. A humanidade torna possível "conectar humanos a humanos", ao contrário de uma cultura totalitária em "ter", o que leva a relações de aquisição permanentemente conflituosas, e mesmo dominadoras.

                                                                 Adama SAMASSEKOU

A ideia inicial de promover uma Conferencia Mundial de Humanidades, surgiu para Adama SAMASSEKOU, em 2009, quando ele exercia seu primeiro mandato como presidente do Conselho Internacional de Filosofia e Ciências Humanas (CIPSH), organização não governamental criada sob os auspícios da UNESCO em 1949.

segunda-feira, julho 24, 2017

UNESCO e CIPSH promovem uma das mais importantes conferências deste século, a Conferência Mundial de Humanidades - Desafios e Responsabilidades em um Planeta em Transição - e acontece em Liège, Bélgica entre 6 a 12 de agosto de 2017.

Dinalva Heloiza de Oliveira

A cidade de Liège, na Bélgica, reconhecida pelo seu rico patrimônio imaterial, recebe uma das mais importantes Conferências deste século, a Conferência Mundial de Humanidades - Desafios e Responsabilidades em um Planeta em Transição - e acontece entre 6 a 12 de agosto de 2017.


                                               


A Conferência, promovida pela UNESCO e pelo CIPSH - Conselho Internacional para a Filosofia e Ciências Humanas, vem desde 2016, convidando formalmente todos os especialistas e redes de pesquisa no mundo a tomarem parte na preparação da conferência através da apresentação de propostas de papéis e sessões, organizando reuniões entre redes de pesquisadores, reunindo jovens investigadores e estudantes no processo de preparação a conferencia, incentivando a organização de eventos preparatórios ou envolvendo setores não acadêmicos, engajados nos debates da conferência.

domingo, junho 04, 2017

05 de Junho Celebramos o Dia Mundial do Meio Ambiente, com o tema “Conectando as pessoas à natureza” #EstoucomaNatureza, a ONU Meio Ambiente promove uma série de eventos em todo o Brasil e no Mundo em celebração a semana do meio ambiente.


Dinalva Heloiza de Oliveira

Uma de minhas identidades, bem resguardadas de minha infância, está intimamente gravada em meu ser, como uma aquarela de sons e cores, que se formou a partir de minha convivência, ainda criança com a natureza. Aqueles momentos, sem dúvida, foram os mais importantes de minha formação. Lembro-me da emoção que me perpassava, ao me encontrar diante do fluxo claro e límpido da nascente de um riacho, que corria, após o imenso pomar que havia na fazenda de meus avós.


O barulho contínuo da água seguindo seu curso, por entre as pedras forradas de húmus, o canto alegre da passarada, o vento suave e perfumado de aromas, que agitava as arvores, seus galhos e folhas, configurando um bailado sincronizado, acompanhados em uma escala menor, pelos pequenos arbustos, que circundavam aquelas árvores, como alegres crianças que dão as mãos as suas mães, ao dançar uma ciranda.  

sexta-feira, maio 19, 2017

Em 21 de Maio de 2017, celebramos o “Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento”, proclamado pela UNESCO na Declaração Universal sobre Diversidade Cultural, um reconhecimento à necessidade de potencializar a cultura como meio de alcançar prosperidade, o desenvolvimento sustentável, e a coexistência pacífica global

Dinalva Heloiza

Realizada anualmente em 21 de Maio, a Jornada Mundial pela Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento, celebra não só a riqueza das culturas mundiais, mas também o papel essencial do diálogo intercultural para alcançar a paz e o desenvolvimento sustentável. A Assembleia Geral das Nações Unidas, declarou pela primeira vez este Dia Mundial em 2002, após a aprovação pela UNESCO da Declaração Universal sobre Diversidade Cultural de 2001 , reconhecendo a necessidade de "potencializar a cultura como meio de alcançar prosperidade, desenvolvimento sustentável e coexistência pacífica global".


Com adoção em setembro de 2015, a Agenda 2030 ou Agenda para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, e a Resolução A/C.2/70/L.59, sobre Cultura e Desenvolvimento Sustentável, adotada pela Assembleia Geral da ONU em dezembro de 2015 , faz com que a mensagem dirigida ao Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento, seja mais importante do que nunca.

terça-feira, maio 16, 2017

O Coletivo Cabeça de Elefante, criado por Kika Oliveira, vem protagonizando o Teatro Infantil em Brasília, na seara da aprendizagem!

A criança é a ação e o pensamento da arte, porque canta com o corpo, desenha com o corpo, sorri ou chora com todo o corpo. Vive intensamente, arrisca-se, pois está atenta e aberta às experiências e ao mundo, sem medo. Toda arte é expressão, seja qual for à linguagem: seja ela a música, a dança, a pintura, a escultura, o cinema ou o teatro. “A Criança Descobrindo, Interpretando e Agindo sobre o Mundo” - edições UNESCO.

Neste contexto, tem muita gente boa trabalhando e propondo às crianças um amplo cenário em expressões. Um destes grupos - o Coletivo Cabeça de Elefante -  Grupo de Teatro Infantil, fundado em Brasília, em 2016, tem como protagonista uma amiga querida, atuante e sensível, Caliane Souza de Oliveira, ou Kika, como gosta de ser chamada.

Kika, 26 anos é escorpiana, detentora de um amplo currículo voltado às artes. Professora de Teatro e Arte Educadora, além destas atividades, integra também, as de produtora cultural e relações institucionais, também em Brasília, DF.

Kika Oliveira, Professora de Teatro e Arte Educadora

Em uma recém conversa, ela nos relata, que iniciou suas vivências teatrais ainda aos seis anos de idade, e posteriormente foi conduzida pelos mestres, José Wrigell e Pedro Macarsi.

sábado, maio 06, 2017

A UNESCO reconhece oito sítios geológicos, à categoria de Geoparques Globais da UNESCO, os novos sítios, estão localizados na Ásia, Europa e América Latina.

Dinalva Heloiza

Os Geoparques Globais da UNESCO são áreas geográficas únicas e unificadas em que os locais e paisagens de importância geológica internacional são geridos com um conceito holístico de proteção, educação e desenvolvimento sustentável. A abordagem ascendente que consiste em combinar a conservação com o desenvolvimento sustentável e envolver as comunidades locais está a tornar-se cada vez mais popular, a organização disponibiliza uma página da web de cada Geoparque Global da UNESCO, com informações detalhadas sobre cada sítio.

                                     Arxan, China - Geoparque Global da UNESCO

quarta-feira, março 29, 2017

Populistas e Autocratas: A dupla ameaça à democracia global!

Dinalva Heloiza - Com informações da Freedom House

Uma vez li em um livro o seguinte pensamento: “A corrupção é o maior flagelo de toda e qualquer sociedade. Só e somente a corrupção, é responsável pelas guerras, pela miséria, pela fome, pela degradação humana, pelas crises econômicas, pela devastação ambiental, pela desigualdade social e por toda injustiça que paira sobre as sociedades que insistem em manter em suas esferas públicas, a sanha dos corruptos.”


“Em 2016, forças políticas populistas e nacionalistas obtiveram ganhos surpreendentes em estados democráticos, enquanto os poderes autoritários envolvidos descaradamente em atos de agressão e graves atrocidades, subiram ao poder em zonas de guerra em dois continentes” Essa é a conclusão atual do mundo, de acordo com o estudo “Liberdade no Mundo 2017”, o relatório anual apresentado pela Freedom House sobre direitos políticos e liberdades civis.

Freedom House - “O declínio da liberdade continua em meio ao crescente populismo e autocracia”.


                          


O relatório aponta que 2016, marca o 11º ano consecutivo em que o declínio nas liberdades persiste em cenário global.

quarta-feira, março 15, 2017

O Blog Brasil EcoNews, apresenta aqui uma entrevista com Adriana Quiñones, atual assessora regional da ONU Mulheres, que fala sobre as iniciativas regionais da entidade para por fim ao feminicídio.

A América Latina está vivendo uma onda poderosa de protestos contra inúmeros homicídios relacionados ao gênero. À medida que, mulheres e homens exigem o Fim dessa violência, através da Campanha #NiUnaMas (não mais mulheres serão mortas), Adriana Quiñones, atual assessora regional da ONU Mulheres, anteriormente Conselheira Regional pelo Fim da violência contra as mulheres na América Latina e no Caribe. fala sobre as iniciativas regionais para prevenir o feminicídio. 

                                   Adriana Quiñones, assessora regional da ONU Mulheres

 O feminicídio está acontecendo na região mais do que em outras partes do mundo?

terça-feira, março 07, 2017

As “Feridas Invisíveis”, dos Esquecidos!

Dinalva Heloiza


Às vésperas do sexto aniversário da guerra civil na Síria, a Save the Children, lança um relatório impactante intitulado, “Feridas Invisíveis”, onde a Organização Internacional faz um profundo alerta ao trágico perfil da situação do país e principalmente de suas crianças.

terça-feira, fevereiro 28, 2017

O brasileiro Roberto Azevêdo conquista o segundo mandato como Diretor Geral da OMC - Organização Mundial do Comércio, assumindo em início de setembro.

 Dinalva Heloiza
  
Em reunião do Conselho Geral da Organização Mundial do Comércio, que aconteceu hoje 28 de fevereiro, os membros da OMC acordaram, por consenso, nomear o brasileiro Roberto Azevêdo para um segundo mandato de quatro anos como Diretor Geral da Organização.


O segundo mandato do diretor geral, que tem início em 1 de Setembro de 2017, antes da reunião, ele apresentou sua visão para o futuro da organização e os desafios que terão pela frente, além de responder a várias perguntas dos membros sobre as  questões que serão enfrentadas pela  organização.

O diretor geral confirmou também a sua disponibilidade para desempenhar um segundo mandato, em uma carta enviada aos membros da OMC, ainda em 3 de Novembro de 2016, no início do processo de seleção. Ele foi o único candidato indicado para o cargo, até o encerramento do processo que aconteceu em 31 de dezembro de 2016.

terça-feira, fevereiro 21, 2017

A Anistia Internacional lançou ontem um novo Relatório - “O Estado dos Direitos Humanos no Mundo” 2016/2017, onde aponta a situação dos direitos humanos em 159 países, incluindo o Brasil.


Dinalva Heloiza

“O fato de estarmos vendo a eclosão de tantas novas crises sem que nenhuma das anteriores tenha sido resolvida mostra uma clara falta de capacidade e de vontade política para acabar com os conflitos, menos ainda para preveni-los. O resultado é a proliferação alarmante de incertezas e impunidade.” António Guterres, Secretário Geral das Nações Unidas.

“Líderes passam a demonizar determinados grupos, como migrantes, negros, mulheres, população LGBT [lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e transgêneros], como se fossem a origem do problema que estas sociedades estão vivendo. Essa tática de demonização não é mais do que uma cortina de fumaça que tenta esconder a incapacidade desses dirigentes diante de suas obrigações em proteger a vida e o direito das pessoas”, diretora executiva da Anistia Internacional no Brasil, Jurema Werneck.

                                                             Jurema Werneck

"Embora o informe trate dos temas mencionados e de muitos outros, suas páginas não conseguem carregar a profundidade da tragédia que as crises de 2015 imprimiram em cada ser humano – sobretudo a crise dos refugiados, agora agravada pelo inverno no hemisfério Norte. Em situações como essa, proteger e fortalecer os sistemas de proteção civil e de direitos humanos não pode ser considerado uma opção. É literalmente uma questão de vida ou morte.” Salil Shetty, Secretário-Geral da Anistia Internacional.


               Apresentação do Relatório por Salil Shetty - Secretário Geral da Anistia Internacional

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Procuradores de 15 Países devem agir rapidamente para levar os corruptos à Justiça no escândalo da Lava Jato.

Dinalva Heloiza

A Transparency International solicita que os promotores criem uma força-tarefa regional para coordenar investigações.

Comunicado emitido pela Secretaria da Transparência Internacional
.

A Transparência Internacional e seus escritórios na América Latina pedem aos promotores dos 15 países envolvidos no escândalo de corrupção da Lava Jato, reunidos no Brasil nesta semana, para tomar medidas firmes para levar os culpados à justiça.

O escândalo da Lava Jato envolve uma rede de mais de vinte corporações, incluindo  a gigante construtora Odebrecht, que subornou funcionários públicos para conquistar contratos na América Latina, em Angola e em Moçambique.

A reunião em Brasília, convocada pelo Ministério Público do Brasil, surge na sequência de um acordo de US $ 3,5 bilhões entre os procuradores dos EUA, Brasil e Suíça e a Odebrecht.

"A reunião de Brasília apresenta uma tremenda oportunidade para enfrentar a grande corrupção de uma forma significativa e global. Os promotores devem aproveitar esta oportunidade para compartilhar experiências, estratégias e informações para melhorar seu trabalho. Em cada país, as pessoas estão exigindo o mesmo tipo de resultados que os promotores no Brasil estão conquistando", disse José Ugaz, presidente da Transparência Internacional.

"Os promotores devem explorar a criação de uma força-tarefa investigativa conjunta em escala global, focada em esquemas offshore e lavagem de dinheiro. Uma investigação mais eficiente e coordenada é fundamental para desmantelar os sistemas corruptos que perpetuam a pobreza e a desigualdade na América Latina e na África", disse Ugaz.


Os escritórios da Transparência Internacional nas Américas estão formulando cinco recomendações principais:

Mudanças na legislação brasileira podem descumprir compromissos internacionais do Brasil

Em entrevista ao Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), o representante do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) na América do Sul, Amerigo Incalcaterra, alertou que mudanças recentes na legislação brasileira não estão levando em conta tratados internacionais ratificadas pelo país. Para o representante da ONU, reformas podem levar a retrocessos dos direitos previdenciários, trabalhistas, econômicos e da agricultura.

Amerigo Incalcaterra - Representante do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) na América do Sul,

“Quando falamos de preocupações em relação a possíveis retrocessos em matéria de conquistas de direitos, pode ser na esfera previdenciária, como pode ser (também) no âmbito do trabalho, no âmbito dos direitos econômicos e da agricultura”, disse o especialista.

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

ONU Mulheres considera preocupante MP que altera as secretarias de políticas para mulheres e igualdade racial

 Dinalva Heloiza

Recentemente foi publicada no Diário Oficial da União, a Medida Provisória nº 768/2017, que transformou as Secretarias Especiais de Políticas para as Mulheres e de Promoção da Igualdade Racial em Secretarias Nacionais.

A redução deste status foi considerada preocupante pela ONU Mulheres que, em nota pública, pediu que ambos os organismos, sejam dotados de orçamento adequado para atender aos desafios das mulheres e negros brasileiros. A Agência das Nações Unidas considera de fundamental importância que as Secretarias sejam posicionadas a um nível estratégico no Poder Executivo.

         Marcha das Mulheres Negras Contra o Racismo, em Brasília. Foto: EBC/Marcello Casal Jr.

terça-feira, fevereiro 07, 2017

Em 6 de Fevereiro, celebramos o Dia Internacional de Tolerância Zero a Mutilação Genital Feminina - neste aspecto e em tempos atuais, a “Mulher, enquanto Ser Humano” - é um Direito Universal, ou apenas um Direito Relativista?

Por Dinalva Heloiza

Desde os primórdios da humanidade, as mulheres são submetidas ao "poder" do homem, e da sociedade patriarcal, onde desde então, a própria condição feminina foi reprogramada como fator em apoio ao crescimento e ao dimensionamento do homem nas fases subsequentes.

Essa proposta inicial estabelecida pela Igreja, com respaldo de toda a sociedade patriarcal, criou um redimensionamento dos valores da mulher, o que consequentemente vem produzindo diferenças éticas em detrimento à natureza feminina e à sua jurisprudência natural. As ações realizadas até então, pela mulher, viabilizaram as bases dos direitos humanos, as quais, foram reprogramadas e novas assinaturas foram digitalizadas.


Citando Mahatma Gandhi - ele diz: “A Terra dá o suficiente para satisfazer as necessidades de todos os homens, mas não sua ganância”.

Segundo pesquisa divulgada no Relatório da X Conferencia Regional sobre a Mulher da América Latina e Caribe, realizado em Quito, Equador, em 2007, intitulado: “A Contribuição das Mulheres para a Igualdade na América Latina e Caribe”, promovida pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe - CEPAL da Organização das Nações Unidas, onde a mesma aponta o seguinte: 

quinta-feira, janeiro 26, 2017

Transparency International - Coalizão Global Anticorrupção 2016. A corrupção no poder, afeta de forma sistemática as sociedades, e não somente financeiramente, mais ainda em sua moral!

Dinalva Heloiza

"Em muitos países, as pessoas são privadas de suas necessidades mais básicas, e o pior, em muitos casos elas vão para cama com fome, e o principal fator incidente, é sem dúvida a corrupção, enquanto o poderoso e corrupto desfruta de estilo de vida luxuoso, com impunidade". 

Com estas palavras, o presidente da Transparency International - José Ugaz, fez a apresentação, do 21º Relatório da Transparency International - “Índice de Percepção de Corrupção (IPC) 2016” - lançado em Berlim, ontem (25), pela organização.




O Relatório, conclama a sociedade global, à perceber a perigosa ligação entre “Corrupção e Desigualdade”, fatores esses, que se alimentam mutuamente, gerando um círculo vicioso entre corrupção, distribuição desigual do empoderamento na sociedade, e a distribuição desigual da riqueza.

quarta-feira, janeiro 04, 2017

Entra em vigor “A New Urban” - A Nova Agenda Urbana - para cidades limpas, verdes e inclusivas, um documento adotado na Habitat III, que aconteceu em Quito, Equador!

Dinalva Heloiza
Logo da Habitat III/Quito, 2016

Desde 20 de outubro de 2016, está em vigor a III Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável, a Habitat III, que aconteceu em Quito, no Equador, onde os países signatários da ONU acordam uma Nova Agenda de Desenvolvimento Urbano que vai orientar a urbanização sustentável das cidades, de forma equitativa.

Postagens populares

ONU Brasil

Portal IBRE

Governo de Goiás

São Paulo

Postagens